Agregador de feeds

Previsão do tempo desta quinta-feira (30) para todo o Brasil

Também na Radioagência Nacional - 2 horas 44 minutos atrás

Previsão do Tempo: Programete veiculado diariamente às 3h30 de segunda a sexta com produção da Rede Nacional de Rádio.

Presidente do Conselho Federal de Economia teme que corte de gastos agrave recessão

Também na Radioagência Nacional - 3 horas 23 minutos atrás

Ao decidir cortar R$ 42 bilhões do orçamento de 2017, o governo espera cumprir a meta fiscal para este ano e, com isso, retomar o crescimento econômico.

 

Mas, para o presidente do Conselho Federal de Economia, Júlio Miragaya, o corte de gastos pode ter efeito contrário e agravar a recessão.

 

O corte de gastos é uma das ferramentas usadas para equilibrar as contas públicas. No dia 22 deste mês, o Ministério do Planejamento divulgou relatório prevendo que o governo fecharia o ano gastando R$ 58 bilhões a mais do que arrecadaria.

 

A equipe econômica também quer aumentar a arrecadação. Para isso, espera conseguir R$ 10 bilhões com o leilão de usinas hidrelétricas; R$ 1 bilhão com a cobrança de IOF sobre cooperativas de crédito; e quase R$ 5 bilhões com o fim da desoneração da folha de pagamento de 50 setores da economia, que começa a valer a partir dos contracheques de julho.

 

O economista André Luiz Marques, da Universidade de Brasília, especialista em dívida pública, avalia que, na prática, a reoneração da folha de pagamento significa o aumento de tributação. E vai afetar, principalmente, as famílias com renda de até dois salários mínimos.

 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, informou que a reoneração será adotada no transporte aéreo e marítimo de passageiros, e também no transporte de cargas.

 

A Confederação Nacional do Transporte reagiu por meio de nota oficial, informando que no ano passado o setor fechou mais de 90 mil postos de trabalho. Segundo a CNT, a reoneração pode gerar demissões em massa, aumentar o custo do transporte e produzir mais inflação.

 

Com produção de Solimar Luz

Governo anuncia contingenciamento de R$ 42 bilhões; PAC terá corte de R$ 10,5 bilhões

Também na Radioagência Nacional - 3 horas 35 minutos atrás

O governo anunciou dois tipos de medidas para cobrir o rombo de mais de R$ 58 bilhões no Orçamento de 2017. Um deles foi o contingenciamento, bloqueio de R$ 42 bilhões, e o outro foi a ampliação de receitas, que pode chegar a R$ 16 bilhões. O aumento de impostos, que alguns políticos e empresários já davam como certo, não ocorreu.

 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, destacou que o rombo nas contas públicas é resultado da queda na arrecadação. O ministro também afirmou que dois fatores explicam essa frustração de receita.

 

Para gerar receita, o governo vai cobrar Imposto Sobre Operações Financeiras nas transações feitas por cooperativas de crédito. A desoneração da folha de pagamento, que beneficiava 56 setores, vai ser mantida apenas para quatro áreas: empresas de transporte terrestre de passageiros, construção civil, obras de infraestrutura e comunicação.

 

A equipe econômica espera arrecadar também com o leilão de quatro usinas hidrelétricas devolvidas pela iniciativa privada à União.

 

Já as medidas de contingenciamento vão cortar R$ 42 bilhões de diversas áreas. Só estão garantidos os investimentos mínimos em saúde e educação, e as despesas obrigatórias, como o pagamento de salários de servidores públicos, da Previdência Social e de benefícios do Bolsa Família.

 

O investimento do governo no PAC, Programa de Aceleração do Crescimento, terá corte de R$ 10,5 bilhões e R$ 20 bilhões serão cortados no custeio. Os Poderes Legislativo e Judiciário vão contingenciar R$ 580 milhões. O ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira, anunciou, ainda, o corte de quase R$ 11 bilhões em emendas parlamentares.

 

A equipe econômica informou que os cortes e as mudanças na arrecadação foram necessários para garantir o cumprimento da meta fiscal, que, para este ano, prevê déficit de R$ 139 bilhões. Ou seja, o governo espera gastar R$ 139 bilhões a mais do que arrecada.

Governo define penas mais duras para irregularidades na agropecuária

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 23:14

O governo endureceu as regras para a inspeção de produtos de origem animal. O novo Regulamento de Inspeção Industrial e Sanitária permite a cassação do registro de frigoríficos que cometerem três infrações classificadas como gravíssimas no período de um ano.

 

Além disso, o valor da multa quando constatadas irregularidades subiu para até R$ 500 mil, antes o valor máximo era R$ 15 mil.

 

As normas mais rígidas valem tanto para carnes bovina, suína e de aves; como para leite, pescado e mel.

 

De acordo com o secretário da Agricultura e Pecuária e Abastecimento, Eumar Novack, o novo documento estava previsto antes mesmo da operação Carne Fraca.

 

Durante o evento de assinatura do decreto nessa quarta-feira no Palácio do Planalto, o presidente Temer anunciou a renovação de créditos no valor 1 bilhão de reais pelo Banco do Brasil destinados a agropecuária.

Justiça determina que governador do Rio repasse salários do Ministério Público

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 23:01

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu mandado de segurança em favor do Ministério Público do Estado, determinando que o governador Luiz Fernando Pezão repasse o valor mensal constitucional referente ao pagamento de março dos servidores do órgão.

 

A decisão tomada nesta quarta-feira se refere à parcela do orçamento que chega a R$ 92 milhões.

 

A medida foi determinada pelo desembargador José Roberto Távora, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça. Na decisão, o magistrado alerta que “a pendência criada pelo governo do estado fere a Constituição Federal, que assegura a autonomia dos poderes”.

 

Quanto aos repasses para o judiciário estadual, o Supremo Tribunal Federal vai intimar o governo para em 48 horas comprovar o cumprimento do acordo que previa até o dia 20 de cada mês o repasse de R$ 275 milhões para pagamento da folha dos servidores.

 

Na segunda-feira, o Tribunal de Justiça comunicou ao STF o descumprimento do acordo e pediu o arresto desse valor dos cofres do estado.

 

Com informações de Douglas Correa, da Agência Brasil

Projeto anticorrupção é enviado ao Senado com alterações feitas pela Câmara

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 22:40

A Câmara enviou ao Senado nessa quarta-feira o projeto das 10 medidas anticorrupção com as alterações feitas pelos deputados. Ou seja, sem seis das 10 medidas do texto original e com a inclusão de um artigo que prevê a punição de juízes e procuradores que cometam abuso de autoridade.

 

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, disse entender que a Casa já votou o texto.

 

As alterações feitas na Câmara geraram críticas do Ministério Público Federal, que foi o autor original da proposta, e também do Judiciário. Representantes das instituições argumentam que se trata de uma retaliação às investigações em curso no Brasil.

 

A decisão de devolver o projeto ao Senado ocorre depois que a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara conferiu as assinaturas em apoio ao texto. Foram mais de 1 milhão e 740 mil assinaturas validadas, das mais de 2 milhões entregues pelo Ministério Público.

Irã volta a comprar carne brasileira após suspensão da produção

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 22:22

O presidente Michel Temer afirmou nessa quarta-feira que o Irã voltou a comprar carne brasileira. O anúncio foi feito durante a cerimônia de assinatura do decreto que cria novas regras para inspeção de produtos de origem animal.

 

Em coletiva de imprensa após o evento, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi disse que o embargo oficial não chegou a acontecer.

 

O que houve foi uma suspensão de produção, já que a carne exportada para o Irã é processada de maneira especial por questões alimentares relacionadas aos muçulmanos.

 

O Irã é o sétimo país que retoma as relações comerciais com o Brasil no mercado de carne nos últimos dias.

 

Maggi disse ainda que vai visitar países da Europa, Ásia e Oriente Médio em maio para recuperar mercado de exportação da carne brasileira.

Adriana Ancelmo passa a cumprir prisão domiciliar em apartamento no Rio

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 22:11

Recebida com vaias e protesto, a ex-primeira dama Adriana Ancelmo chegou nesta quarta-feira ao seu apartamento no Leblon, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde vai cumprir prisão domiciliar. A mulher de Sérgio Cabral é acusada de fazer parte de esquema de desvio de dinheiro de verbas públicas.

 

Ela ficou presa preventivamente durante mais de três meses no complexo penitenciário de Gericinó, em Bangu e foi liberada pelo juiz federal Marcelo Bretas.

 

A medida chegou a ser cassada pelo Tribunal Regional Federal, mas a defesa conseguiu a prisão domiciliar no Superior Tribunal de Justiça.

 

Antes de ir para sua residência, Adriana Ancelmo teve que assinar um termo que vai cumprir todas as condições judiciais. Ela somente vai poder sair do aparamento em caso de necessidade médica. O imóvel não poderá ter comunicação por telefone ou por internet e Adriana somente poderá receber visitas de parentes ou advogados de defesa. Todos os celulares deverão ser deixados na portaria.

 

A decisão que concedeu a prisão domiciliar levou em consideração que os filhos do casal, de 11 e 14 anos de idade, estavam em casa, sem a presença dos pais, já que Sérgio Cabral também está preso desde novembro do ano passado. Desde março do ano passado, a legislação permite que nestes casos a prisão preventiva da mulher seja convertida em domiciliar.

 

A Defensora Pública Federal, Manoela Barros, espera que o benefício dado a Adriana Ancelmo ajude também aos filho de outras mulheres encarceradas.

 

O coordenador de defesa criminal da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, Emanuel Queiroz, diz que muitas mulheres têm dificuldade de provar o direito a prisão domiciliar.

 

Levantamento realizado pela Defensoria Pública do Rio de Janeiro mostra que, em um ano e três meses, dos 35 pedidos feitos pela instituição para que mulheres gestantes tenham prisão domiciliar, apenas 16 conseguiram o benefício.

Projeto de abuso de autoridade recebe parecer favorável na CCJ do Senado

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 21:01

O projeto de abuso de autoridade recebeu parecer favorável do relator, o senador Roberto Requião, do PMDB, nessa quarta-feira na CCJ, a Comissão de Constituição e Justiça.

O projeto prevê a punição de agentes públicos com prisão de até 4 anos. Entre os crimes previstos estão a condução coercitiva sem previa intimação da testemunha ou do acusado; a divulgação de conversas telefônicas que não tenham relação com a denúncia ou atinjam outras pessoas não investigadas; coibir ou dificultar reunião pacífica de pessoas, como manifestações, e também pedir vista de um processo em julgamento apenas para atrasar o desfecho dele.

Alguns parlamentares tentaram evitar a leitura do relatório pedindo que antes fossem feitas audiências públicas, mas foram vencidos. O senador Randolph Rodrigues, da Rede, acredita que a medida é uma retaliação às investigações no país.

O relator do texto, senador Roberto Requião, do PMDB, rebateu as acusações e diz que é preciso aprovar esse texto junto com o fim do foro privilegiado, para evitar os excessos de magistrados e procuradores.

As audiências públicas sobre o tema e para a votação do relatório sobre abuso de autoridade ainda não têm datas marcadas.

Governadores do Nordeste debatem criação de empregos e reforma da Previdência

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 20:51

Seis dos nove governadores do Nordeste se reuniram nesta quarta-feira em Fortaleza para debater assuntos comuns entre os estados. No encontro a prioridade foi a retomada da criação de empregos por meio do aumento da capacidade de investimentos.

 

Segundo o governador do Ceará, Camilo Santana, há dificuldades na liberação de empréstimos junto ao BNDES, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

 

Outro ponto unânime da reunião foi a posição contrária à proposta de reforma da Previdência, que tramita no Congresso Nacional. O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, lamentou a falta de diálogo com os estados na construção da proposta.

 

Os governadores também pedem a garantia dos convênios e das obras atuais, especialmente as que são voltadas para a segurança hídrica, diante da seca que o Nordeste enfrenta há cinco anos.

 

Todas as demandas relacionadas pelos governadores serão tratadas em audiência com o presidente da República, Michel Temer.

 

Os governos do Maranhão e da Bahia não participaram do evento. O governo de Sergipe foi representando pelo vice-governador Belivaldo Chagas Silva.

Justiça mantém bloqueio de bens da Delta Construções

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 20:32

A Justiça do Rio de Janeiro manteve o bloqueio dos bens da empreiteira Delta Construções e outras cinco empresas do mesmo grupo, investigadas na Operação Saqueador, desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro.

 

Diretores, executivos e funcionários da Delta são acusados de desviar mais de R$ 370 milhões dos cofres públicos e de pagar propina a agentes públicos. Segundo o Tribunal Regional Federal da 2ª Região,  a manutenção do bloqueio é necessária para garantir a eficiência da ação penal.

 

O bloqueio já tinha sido determinado pela 7ª Vara Federal Criminal, mas a defesa da empreiteira recorreu da decisão. Os principais acusados na Operação Saqueador são o empresário Fernando Cavendish, dono da Construtora Delta, e o contraventor Carlos Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira.

Ex-deputado José Riva é condenado a mais de 21 anos de prisão por lavagem de dinheiro

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 20:23

A Justiça de Mato Grosso condenou o ex-deputado estadual José Riva a 21 anos e oito meses de prisão por lavagem de dinheiro e peculato.

 

Os crimes foram praticados entre novembro de 2000 e dezembro de 2002, quando Riva era primeiro-secretário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. E vieram a tona em 2003, durante a Operação Arca de Noé, da Polícia Federal.

 

Réu confesso, José Riva desviou mais de R$ 5 milhões , em valores atualizados, da Casa Legislativa, usando uma empresa fantasma.

 

Na sentença, a juíza Selma Arruda, da Sétima Vara Criminal de Cuiabá, também condenou o réu a pagar cerca de R$ 10 mil em multa.

 

A defesa do ex-deputado contesta a decisão e afirma que sentença poderá ser anulada por considerar que o caso não é de competência da Justiça estadual. José Riva poderá recorrer da decisão em liberdade.

 

O ex-deputado responde ainda a outras ações por corrupção. Ele chegou a ser preso em 2014 e 2015 em outras operações que também investigavam corrupção na Assembleia Legislativa mato-grossense.

 

José Riva, de 58 anos, é um dos beneficiados pela aposentadoria especial para ex-deputados, contestada no Supremo pelo Procuradoria-Geral da República. Riva recebe mensalmente da Assembleia Legislativa uma pensão de mais de  R$ 25 mil por mês.

Professores do DF decidem em assembleia manter greve que já dura 15 dias

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 20:09

De acordo com o sindicato da categoria, 10 mil servidores participaram do ato. Segundo a Polícia Militar, o grupo era de aproximadamente mil pessoas.

 

Em liminar, o Tribunal de Justiça determinou na última segunda-feira, que a greve é abusiva.

 

A pedido do governo de Brasília,  a Justiça decidiu pelo retorno de 100% dos professores as escolas, além de autorizar o corte do ponto dos grevistas, comenta o secretário da Casa Civil, Sérgio Sampaio.

 

Os professores reivindicam o início da equiparação salarial com os outros servidores do GDF, que está previsto no Plano Distrital de Educação.

 

Um novo ato dos professores está marcado para esta quinta-feira, na praça do Relógio, em Taguatinga, e na sexta-feira na Rodoviária do Plano Piloto. E uma nova Assembleia da categoria está marcada para o dia 4 de abril.

IBGE mostra que 84% das crianças têm como principal responsável uma mulher

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 19:41

Mais uma vez dados divulgados pelo IBGE mostram que o Brasil está longe de alcançar a equidade de gênero quando o assunto é o cuidado de crianças.

 

Em um suplemento divulgado nesta quarta-feira  o órgão aponta que quase 84% das crianças com menos de quatro anos de idade no Brasil em 2015  tinham como principal responsável uma mulher e quase 85% dessas eram mães ou madrastas  e isso tem impactado a participação feminina no mercado de trabalho como explica a analista do IBGE,  Adriana Beringuy.

 

Quem opta por continuar trabalhando acaba precisando fazer arranjos complicados. A esteticista paranaense Shaiane Peres que é mãe de Arthur de dois anos trabalha desde que ele tinha dois meses, às vezes até as nove horas da noite.

 

Para conciliar o filho e a profissão ela já levou Arthur para o trabalho já contratou uma creche particular já o deixou com parentes e agora depois de muita espera conseguiu uma vaga em uma creche pública.

 

Camila Ferreira  que sempre arcou com a maior parte dos cuidados com a casa e o filho de um ano, apesar da participação do marido, acabou optando por deixar o emprego formal logo depois do final de sua licença maternidade.

 

E a desocupação não tem relação direta com a baixa escolaridade já que de acordo com o IBGE mais da metade das crianças com menos de 4 anos tinha como primeira pessoa responsável em 2015 alguém com pelo menos o ensino médio completo.

 

O IBGE também investigou a idade desses responsáveis e identificou que quase metade deles tinha entre 18 e 29 anos, porcentagem que aumenta quando o principal responsável é uma mulher e diminui quando é um homem entre os cerca de  15% deles que são principais responsáveis por crianças de zero a três anos  a maioria tem mais de 30 anos.

Justiça decreta prisão de mais um suspeito envolvido na morte de turista argentino

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 19:10

A Justiça do Rio decretou nesta quarta-feira a prisão temporária de mais um acusado de envolvimento na morte do turista argentino Matías Carena, de 28 anos.

 

O indiciado Thiago Lessa Silva, conhecido como “Kadu Lessa”, teve a prisão decretada pelo prazo de 30 dias. Nessa terça-feira, já tinha sido decretada a prisão por cinco dias de outros três indiciados pelo crime, ocorrido na madrugada do último domingo, após uma briga em um bar localizado em Ipanema, na Zona Sul do Rio.

 

Matías Carena foi espancado e a causa da morte identificada como traumatismo craniano.

 

Na decisão, a Juíza Angélica dos Santos Costa, do Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Rio, sustenta que há fundadas razões de autoria ou participação de Kadu Lessa no crime, já que ele teria sido reconhecido por testemunhas.

Uerj adia mais uma vez volta às aulas

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 19:02

Apesar das salas vazias, a movimentação nos corredores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) estava um pouco maior nesta quarta-feira por causa da pré-matrícula que está sendo realizada até quinta-feira pelos alunos aprovados no vestibular 2017.

 

Morador do interior do estado Márcio Tavares ainda acredita  na importância da universidade e foi se matricular no curso de Geografia.

 

Após mais uma reunião nesta quarta-feira entre a Reitoria e o Fórum de Diretores, a Uerj divulgou nota reforçando que a Universidade não está fechada e que atividades de pesquisa, extensão e pós-graduação estão sendo realizadas.

 

Para o aluno de Psicologia Arthur Pereira, esse é um momento para lutar pela Uerj.

 

Em comunicado lembra que o cenário ainda é preocupante com restrição de recursos materiais e humanos. Segundo a nota, serviços de infraestrutura como coleta de lixo e manutenção permanecem prejudicados.

 

Mas as negociações com as empresas terceirizadas avançaram e, nesta quarta-feira, equipes de limpeza trabalhavam na unidade do Maracanã da UERJ. No entanto, os salários dos professores e as bolsas dos estudantes cotistas ainda estão atrasados.

 

Aluna de Engenharia Químicas, que entrou na cota de escola pública e recebe bolsa, Mariana Souza está angustiada com a situação.

 

Na próxima segunda-feira, dia 3 de abril, nova reunião entre a Reitoria e o Fórum de Diretores vai avaliar se o governo do estado cumpriu as obrigações mínimas para o início das aulas de Graduação da universidade.

Nacional Informa: Rodrigo Maia diz que cassação de chapa Dilma-Temer gera instabilidade

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 17:22

Nacional Informa: Boletim de notícias veiculado de hora em hora, com duração média de até quatro minutos. É publicado na Radioagência Nacional de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h (não há edições às 12h e às 13h). Horários e duração diferenciados em coberturas especiais. Produção do Radiojornalismo da EBC. Acesse aqui as edições anteriores.

 

Edição: Deográcia Pinto 

Trabalhos Técnicos: Egberto Martins

Presidente da Alerj prestou depoimento por três horas na Polícia Federal, no Rio

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 17:18

O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio, Aloysio Neves, cinco conselheiros e um ex-conselheiro do órgão foram presos na manhã desta quarta-feira, durante a Operação Quinto do Ouro, deflagrada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal.

 

A ação investiga desvios de até 20% em contratos com órgãos públicos para autoridades, em especial, membros do TCE e da Assembleia Legislativa do Rio.

 

O presidente da Alerj, Jorge Picciani, foi alvo de uma de condução coercitiva e prestou depoimento por cerca de três horas na Superintendência da Polícia Federal, na zona portuária do Rio.

 

Os conselheiros presos são José Gomes Graciosa, Domingos Brazão, Marco Antônio Alencar, José Maurício Nolasco. Além deles, também foi detido o ex-conselheiro Aloísio Gama.

 

Ao todo, a Polícia Federal cumpre 20 mandados de busca e apreensão contra pessoas físicas e jurídicas, 17 conduções coercitivas e 6 prisões temporárias.

 

A ação se dá principalmente cidade do Rio de Janeiro, mas também em Duque de Caxias e São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Por se tratar de uma investigação que tem como alvos membros de um Tribunal de Contas Estadual, os trabalhos correm sob a presidência de um ministro do Superior Tribunal de Justiça.

 

A operação teve origem em delação premiada do ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado, Jonas Lopes, que também é conselheiro e está licenciado. A corregedora e conselheira Marianna Montebello é a única integrante do tribunal que não foi alvo da ação.

 

Por nota, a Alerj informou que decidiu manter as atividades nesta quarta-feira, apesar da condução coercitiva de Jorge Picciani e que foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos gabinetes da presidência da Casa. Ainda segundo a assessoria, Picciani fará um pronunciamento da tribuna, antes do início da sessão desta quinta-feira, às três da tarde.

Greenpeace faz ato no Rio em defesa dos corais da Amazônia

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 16:47

O Greenpeace organizou, nesta quarta-feira, na Praia de Copacabana, zona sul do Rio, uma exposição interativa criada pelo artista norte-americano John Quigley.

 

A ação faz parte da campanha “Defenda os corais da Amazônia”. O objetivo é celebrar a recente descoberta de corais próximos à foz do Rio Amazonas e alertar para a preservação da espécie. 

 

Cerca de mil pessoas se reuniram para formar um desenho de tecido na areia representando um peixe-borboleta, nativo da região. O público também participou ao compor a mensagem “Defenda os corais da Amazônia”.

 

Duas empresas estrangeiras planejam perfurar a região em busca de petróleo a partir deste ano. Segundo o especialista em Energia do Greenpeace, Thiago Almeida, a exploração na foz do Rio Amazonas pode causar derramamento de óleo. 

 

O processo de licenciamento ambiental para perfuração de poços de petróleo está em análise pelo Ibama, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

Senado fará audiência pública antes de votar abuso de autoridade

Também na Radioagência Nacional - qua, 29/03/2017 - 16:38

Nacional Informa: Boletim de notícias veiculado de hora em hora, com duração média de até quatro minutos. É publicado na Radioagência Nacional de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h (não há edições às 12h e às 13h). Horários e duração diferenciados em coberturas especiais. Produção do Radiojornalismo da EBC. Acesse aqui as edições anteriores.

Edição: Deográcia Pinto

Trabalhos Técnicos: Egberto Martins

Páginas