Você está aqui

Nova fase de restauração do Museu da Língua Portuguesa deve custar R$ 1,8 milhão

  • 10/03/2016 13h49publicação
  • 10/03/2016 17h27atualização
  • São Paulolocalização
Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

São Pauloo - Bombeiros combatem incêndio de grandes proporções no Museu da Língua Portuguesa (Daniel Mello/Agência Brasil)

A conclusão das obras de reparo do Museu da Língua Portuguesa deve ocorrer até o fim de junhoArquivo/Daniel Mello/Agência Brasil

Dois meses e meio após o incêndio que atingiu o Museu da Língua Portuguesa e comprometeu parte do prédio histórico da Estação da Luz, o governo paulista anunciou que o local passará por reformas, em fase que antecede o restauro da arquitetura. As obras dessa fase devem se estender até o fim de maio ou início de junho deste ano. Esta etapa tem custo estimado em R$ 1,8 milhão. Os recursos serão destinados pela companhia de seguros do Museu.

O prédio, tombado como patrimônio histórico, data de 1867 e, segundo a Secretaria estadual da Cultura, os reparos foram aprovados pelos órgãos competentes: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) e Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp).

Estão programadas a impermeabilização das lajes expostas, instalação de sistemas de drenagem e correção dos estragos no telhado. Só após a conclusão dessas etapas, serão reabertas as entradas principais no saguão da Estação da Luz com acesso às áreas de embarque e desembarque da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do Metrô.

Convênio

Por esses locais, passavam diariamente cerca de 400 mil passageiros. A circulação foi vetada pela Defesa Civil desde o incêndio. As alternativas são os acessos pela Rua Casper Líbero e em frente ao prédio da Pinacoteca.

Inaugurado em 2006, o museu recebeu ao longo de seu funcionamento em torno de quatro milhões de visitantes. Para sua reconstrução foi assinado, em janeiro, um convênio entre a Secretaria de Cultura, Fundação Roberto Marinho e organização social ID Brasil. Por essa parceria, ficou acertado que as obras deverão seguir as linhas originais de criação dos arquitetos Pedro e Paulo Mendes da Rocha .

A Secretaria informou ainda que algumas atividades do Museu da Língua Portuguesa continuam sendo desenvolvidas, entre elas a exposição itinerante Estação da Língua. Nessa mostra, que está percorrendo as cidades do interior paulista, o público pode contar com os mesmos recursos audiovisuais e de interatividade do Museu antes do incêndio.

Um dos destaques é o Mapa dos Falares, por meio do qual se pode conhecer a regionalidade do português falado em diferentes regiões do estado. A Estação da Língua poderá ser vista gratuitamente até 2 de abril, no Palacete das Rosas Paulo A. C. Silva, em Araraquara. Em seguida, ela será levada para Pirassununga.

* A matéria foi alterada para correção de informação.

Edição: Armando Cardoso