Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Unidos de Bangu vence série B e desfila na Sapucaí em 2018

Publicado em 02/03/2017 - 20:01

Por Akemi Nitahara - Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

A Escola de Samba Unidos de Bangu foi a grande vencedora do carnaval carioca da Estrada Intendente Magalhães, na zona norte da cidade, onde desfilam as agremiações das séries B, C, D e E. Com isso, em 2018, Bangu vai abrir o desfile na Sapucaí na Série A, o grupo de acesso ao Grupo Especial. Com o enredo Onde Há Fumaça, Há Fogo, a escola da zona oeste fez 269,1 pontos. A apuração ocorreu na tarde de hoje (2), no Terreirão do Samba, ao lado do Sambódromo, no centro da cidade.

O presidente da escola, Alexandre Carros, agradeceu a sua comunidade e disse que vai lutar para  manter Bangu no grupo de acesso. "Muda toda a estrutura, porque era um carro e um tripé, agora são quatro carros. A gente está pronto para isso, temos uma base, então vamos seguir, vamos lutar para conseguir nos manter [na Série A], não é só tentar evitar o rebaixamento não. Estamos vindo prontos para permanecer no grupo. Bangu está firme e forte, a comunidade é grande e abraça. Agora, vai abraçar mais ainda."

Carros garante que vai manter a base da equipe vencedora, inclusive os carnavalescos Rodrigo Marques e Guilherme Diniz. Muito feliz com a conquista, Marques disse que o enredo contou a história do fogo. "Narramos a história do fogo, desde o princípio, a descoberta do fogo, evoluindo pela sociedade, sua importância na construção de uma sociedade, e terminamos com o fogo na maneira como conhecemos hoje, com fogos de artifício, o Botafogo, que é um time de futebol que tem fogo no nome."

Marques disse que o trabalho na Intendente Magalhães é muito árduo e exige criatividade redobrada. "É um laboratório muito bom, porque você encontra muita dificuldade, apesar de ser um carnaval menos volumoso. Tem que reciclar da reciclagem, trabalhar com o lixo do lixo e encontrar o ouro naquilo. É ali que você acaba valorizando aquilo que, para uma escola maior, não tem muita importância, você pega a acaba criando alguma coisa em cima daquilo".

Em segundo lugar na Série B ficou a Unidos do Cabuçu, do Lins de Vasconcelos, na zona norte, e em terceiro, a Tradição, de Campinho, também na zona norte. As que obtiveram menor pontuação e caíram para a Série C  foram a Mocidade Unida do Santa Marta, Favo de Acari, Caprichosos de Pilares e Leão de Nova Iguaçu.

Série C

A grande vencedora da Série C foi a Unidos das Vargens, de Vargem Grande, na zona oeste do Rio, que fez 269,4 pontos com o enredo Terra, Fogo, Água e Ar - Uma Explosão de Vida. O presidente, Ronaldo Fernandes, comemora o retorno à Série B, depois do rebaixamento no ano passado.

"Conseguimos voltar com muita garra, com muita luta. Nem quadra nós temos, todos sabem disso. E, graças a Deus, graças à minha diretoria, aos patrocinadores, aos amigos. Eu quero parabenizar todas as escolas da Série C, porque eu sei como é o sofrimento. Praticamente sem subvenção, nós fizemos um carnaval maravilhoso na Série C. Parabéns para todos nós!"

Das 14 escolas, mais duas desfilarão na Série B em 2018: Lins Imperial, do Lins de Vasconcelos, e Acadêmicos de Vigário Geral, ambas da zona norte, que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente. As últimas colocadas, que passam para a série D no próximo ano são a Flor da Mina do Andaraí, Arrastão de Cascadura, Coroado de Jacarepaguá e União de Jacarepaguá.

Série D

Na Série D, a vencedora foi a escola Império da Uva, de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, que alcançou 269,4 pontos com o enredo Brasil Africano: o Canto dos Silenciados. Muito emocionado, o presidente da escola, Portuga, disse que a vitória foi reflexo do trabalho árduo da equipe. "A equipe trabalhou até o final, sem grana, sem patrocínio, sem ajuda de ninguém, mas a equipe da Império da Uva, graças a Deus, conseguiu. Estão todos lá na quadra, e estamos indo para lá comemorar".

O carnavalesco da escola, Miro Freitas, também destacou a dificuldade financeira para completar o trabalho. "Esse ano foi um trabalho muito árduo, sem material, sem verba, lutei muito. Fiz carro alegórico em três dias, virei noite para sair o trabalho. [Quero] agradecer também a São Clemente, que ajudou muito com material e apoio, trabalhei 17 anos lá".

Em segundo lugar, ficou a Difícil é o Nome, de Pilares, na zona norte do Rio de Janeiro, e em terceiro a Rosa de Ouro, de Oswaldo Cruz, na zona norte. As três primeiras colocadas sobem à Série C no próximo ano. Das 15 escolas da Série D, ficaram nas últimas colocações e passam para a Série E em 2018 a Acadêmicos do Dendê, a Unidos do Manguinhos,a  Mocidade Unida de Jacarepaguá, a Nação Insulana e a Matriz de São João.

 

Edição: Fábio Massalli

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias