Você está aqui

Museu da República inaugura duas novas exposições neste sábado

  • 13/05/2017 15h26publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Paulo Virgílio - Repórter da Agência Brasil

O Museu da República inaugura hoje (13), às 16h, duas novas exposições que abordam a construção de bustos. Sede da Presidência da República até a mudança da capital para Brasília, em 1960, o Palácio do Catete, que agora é museu, tem a maior coleção de bustos de todos os presidentes do Brasil na 1ª República (1889-1930).

Em Do pó ao pó, o artista Zé Carlos Garcia, na Galeria do Lago, apresenta montagens de pedras sedimentares que se assemelham a figuras humanas, como forma de questionar a importância dos bustos que fazem parte da coleção do museu.

 

Museu da República exibe exposição Do pó ao pó

Museu da República exibe exposição Do pó ao pó, do artista Zé Carlos Garcia Divulgação/Museu da República

Já o artista visual Alessandro Sartore, propõe, com a Fa pianger e Sospirare, montada no Coreto, o regresso à função original do lugar onde foi instalada.

Morador de Nova Friburgo (RJ), o artista Zé Carlos Garcia iniciou há um ano a seleção de pedras que tivessem alguma identificação com rostos humanos. O resultado foi a montagem de aproximadamente 18 peças de pedra que remetem a bustos.

“O trabalho do Zé Carlos Garcia promove a reflexão sobre diversas questões e simbolismos que acompanham o ser humano desde sempre. Vida e morte, permanência, deterioração, pedra e pó são algumas das instigantes propostas exploradas pelo artista visual”, destaca a curadora da mostra, Isabel Sanson Portella.

Já Alessandro Sartore foi buscar nas lembranças da infância a música reproduzida dentro do coreto onde montou a instalação Fa pianger e sospirare. O nome remete a um trecho da canção italiana Quel Mazzolin Di Fiori, que Sartore ouvia quando criança na casa da família, de origem italiana.

O público terá que entrar no coreto para ouvir a música e ver a obra, com luzes que emanam de uma gambiarra dourada, fumaça e uma bailarina de porcelana no centro de um banco. “Se para ouvir música o público antigamente se reunia do lado de fora, agora terá que adentrar a construção existente para vivenciar outra forma de arte. Pretendo acionar, ao mesmo tempo, as memórias afetiva, visual e auditiva dos visitantes”, explica o artista.

As duas exposições ficam em cartaz até 20 de agosto, com entrada franca. A mostra Do pó ao pó, na Galeria do Lago, pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 12h e das 13h às 17h, e sábados, domingos e feriados, das 13h às 19h. Já a instalação de Alessandro Sartore no Coreto tem visitação de terça a domingo, das 10h às 16h30.

O Museu da República, vinculado ao Ministério da Cultura, fica na Rua do Catete, 153, no Catete, zona sul do Rio.

Edição: Carolina Pimentel