Você está aqui

Rio suspende serviço 24h de denúncias de homofobia e transfobia

  • 05/02/2016 16h07publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil

O Programa Rio Sem Homofobia, da Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, anunciou hoje (5) a suspensão temporária do Disque Cidadania LGBT. O serviço, do tipo 0800, atendia 24 horas por dia e recebia denúncias de agressões homofóbicas e transfóbicas contra a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

O atendimento no programa agora será feito apenas de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h, pelos telefones 2334-9561 e 2334-9652. Como o atendimento será feito apenas em dias úteis, os telefones não estarão disponíveis durante o carnaval e só voltarão a funcionar na próxima quinta-feira.

O serviço era prestado em parceria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a suspensão se deu por causa da não renovação do contrato anual com a instituição. Enquanto o convênio não for refeito, o serviço não será retomado.

O Rio Sem Homofobia e outros programas da Secretaria de Assistência Social dispensaram funcionários após a não renovação de contratos de trabalho anuais. Segundo a assessoria de imprensa do programa, dos 85 funcionários, apenas 20 continuam em seus cargos.

A crise financeira do estado do Rio causou ainda o atraso no pagamento dos salários de funcionários de diversos programas da secretaria que são contratados via Uerj. No Rio Sem Homofobia, os salários de outubro, novembro e dezembro estão atrasados, assim como o décimo terceiro.

Casos de agressões homofóbicas e transfóbicas podem ser denunciados nas delegacias de polícia e também pelo Disque 100, do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, que recebe relatos de casos de desrespeito aos direitos humanos.

Edição: Luana Lourenço