Você está aqui

BNDES financia 50% dos projetos em leilões de geração de energia

  • 29/04/2015 15h50publicação
  • 29/04/2015 17h17atualização
  • Rio de Janeirolocalização
Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

Obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira (PA)

Os recursos valem para o financiamento de hidréletricas acima de 30 MWRicardo Joffily/Ascom DPU

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiará 50% do valor dos empreendimentos de leilões de geração de energia – Leilão A-5 – previstos para amanhã (30). A regra é a mesma adotada no leilão do último dia 27. Isso vale para hidrelétricas acima de 30 megawatts (MW) e geração de energia não renovável. Hidrelétricas com geração abaixo de 30 MW e empreendimentos de demais energias renováveis contarão com empréstimos de até 70% dos itens financiáveis.

As condições de financiamento para o leilão foram anunciadas hoje (29) pelo BNDES e dão continuidade à política de financiamento à infraestrutura em conjunto com a emissão de debêntures – título de crédito representativo de empréstimo que uma companhia faz junto a terceiros. Foram habilitados 50 empreendimentos pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), que totalizam a oferta de 6,7 mil MW.

O tomador de empréstimos no BNDES pagará a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) praticada pelo banco em suas operações e fixada em 6% ao ano pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para o período de 1º de abril a 30 de junho deste ano. A remuneração básica do BNDES será de 1,2% ao ano e a remuneração de risco de até 2,87% ao ano.

De acordo com as condições financeiras divulgadas para os leilões de energia de abril, o prazo de amortização será de até 20 anos para hidrelétricas de qualquer capacidade e até 16 anos para as demais energias renováveis e para energias não-renováveis. O BNDES informou que existe a possibilidade de conversão do sistema de amortização do Sistema de Amortização Constante (SAC) para o Sistema Price, quando for feita emissão de debêntures de infraestrutura pelo beneficiário do crédito.

O banco destacou que o financiamento para a compra de máquinas e equipamentos importados que não tenham similar no Brasil terá remuneração básica de 2% ao ano e taxa de risco de crédito de até 2,87% ao ano.

Matéria atualizada às 17h18

Edição: Marcos Chagas