Você está aqui

Barbosa diz que rebaixamento não muda trajetória de recuperação da economia

  • 09/09/2015 21h19publicação
  • 10/09/2015 10h43atualização
  • Brasílialocalização
Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil

 desafios para a gestão pública, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (José Cruz/Agência Brasil)

Nelson Barbosa afirmou que o país está trabalhando em várias frentes para construir as condições de reequilíbrio fiscalArquivo/José Cruz/Agência Brasil

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, disse hoje (9) que a perda do grau de investimento do Brasil não muda a trajetória de recuperação da economia brasileira.

Nelson Barbosa convocou uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto para transmitir uma mensagem de "tranquilidade e segurança" para todos. Ele afirmou que o país está trabalhando em várias frentes para consturir as condições do reequilíbrio fiscal.

De acordo com o ministro, o governo continua a honrar todos os compromissos e contratos e seguirá trabalhando para conter gastos e recuperar receitas.

Esta noite, a agência de classificação de riscos Standard & Poor's informou que reduziu a nota de crédito do Brasil de BBB- para BB+.

"Tenho certeza de que a avaliação feita hoje será revertida à medida que as condições melhorem. Estamos trabalhando intensamente para melhorar [essas] condições", afirmou.

"As pessoas podem ficar tranquilas que isso é apenas uma avaliação de uma agência de risco, que é importante. Trabalhamos para manter sempre a melhor avaliação por parte do mercado e de todos os agentes da economia."

O ministro disse ainda que o governo brasileiro tem "todos os instrumentos" para resolver a situação fiscal, mas que isso depende de medidas legislativas e de um esforço conjunto. "Cabe ao Executivo propor medidas. Várias delas têm de tramitar no Congresso Nacional. Temos de respeitar o rito democrático de aplicação de medidas fiscais."

Barbosa não descartou novas medidas, mas ressaltou que as atuais estão sendo implementadas na "velocidade necessária, possível e permitida pelos cenários econômico e político."

"Estamos construindo as medidas necessárias para recuperação fiscal e do crescimento. Uma economia continental como a do Brasil, de 204 milhões de habitantes, que é a sétima economia do mundo, leva certo tempo para responder às medidas. Mas elas estão em operação. Novas medidas, se necessárias, serão adotadas", disse, citando a reforma administrativa nos ministérios do governo como uma iniciativa para melhorar a gestão.

Ao ser perguntado se a notícia foi uma surpresa para o governo, Nelson Barbosa respondeu positivamente. "Temos trabalhado para manter o grau de avaliação do mercado no nível atual ou melhorar essa avaliação. Não é uma noticia boa, mas pode se revertida. Estamos trabalhando para isso", concluiu.

* A matéria foi alterada às 21h44 para inclusão de novas informações. Matéria alterada às 10h42 do dia 10 de setembro para correção de informação. Diferentemente do informado, a Standard & Poor's reduziu a nota de crédito do país de BBB- para BB+.

Edição: Armando Cardoso