Você está aqui

Representantes de agência de classificação de risco têm encontro com Levy

  • 22/09/2015 10h19publicação
  • Brasílialocalização
Daniel Lima – Repórter da Agência Brasil

Representantes da agência de classificação de risco Fitch estão na manhã de hoje (22) no Ministério da Fazenda. Os funcionários da Fitch manterão encontros com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e com os secretários do Tesouro Nacional, Marcelo Barbosa Saintive, de Política Econômica, Afonso Arinos Mello de Franco Neto, e de Acompanhamento Econômico, Paulo Guilherme Farah Corrêa.

Ao chegar ao prédio do Ministério da Fazenda, os integrantes da Fitch evitaram falar com jornalistas. “Agora e até o fim do trabalho será sigilo total”, disse Paulo Moreira Marques, técnico do Tesouro Nacional, que acompanha a equipe.

Em abril, a agência manteve a nota de crédito do Brasil em BBB, mas revisou a perspectiva do país de estável para negativa. Segundo comunicado divulgado pela Fitch, na ocasião, a mudança ocorreu em razão do "contínuo desempenho fraco da economia brasileira, do aumento dos desequilíbrios macroeconômicos, da deterioração fiscal e de um aumento da dívida pública com pressão sobre o perfil de crédito soberano do país".

A classificação de risco é uma nota atribuída a um país por instituição especializada na análise de crédito, que avalia a capacidade e a disposição de o país honrar, pontual e integralmente, a dívida.

O rating é um instrumento relevante para os investidores, uma vez que fornece uma opinião independente a respeito do risco de crédito da dívida do país.

Há grande expectativa sobre a decisão do Fitch em relação ao Brasil após outra agência de classificação de risco, a Standard & Poor's, ter reduzido, no último dia 9, a nota de crédito do Brasil de BBB- para BB+, com perspectiva negativa.

Diante do rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela Standard & Poor’s, o governo tem procurado demonstrar o compromisso com a consolidação fiscal. No último dia 14, anunciou série de medidas prevendo corte de despesas e aumento de receitas para melhorar o resultado das contas públicas em 2016. As medidas porém dependem aprovação do Congresso Nacional.

Além da FitchRating, a Standard & Poor's e a Moody´s são consideradas as mais importantes agências de classificação de risco no mundo.

 

 

Edição: José Romildo