Você está aqui

Greve dos petroleiros reduziu produção de petróleo e gás em novembro, diz ANP

  • 05/01/2016 12h20publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Nielmar de Oliveira - Repórter da Agência Brasil

A produção total de petróleo e gás natural nos campos do país fechou novembro de 2015 em 2,970 milhões de barris de petróleo e gás natural (óleo equivalente) por dia. Os dados foram divulgados hoje (5) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás natural e Biocombustíveis (ANP). Na avaliação da ANP, a redução da produção entre novembro e outubro foi decorrência de “diversas interrupções de produção, em diferentes plataformas, devido a greve de funcionários da Petrobras, que durou aproximadamente 15 dias”.

Eles mostram que a produção de petróleo atingiu em novembro 2,38 milhões de barris por dia, uma queda de 1,1% na comparação com outubro, mas um crescimento de 0,9% em relação ao mesmo mês de 2014.

Já a produção de gás natural encerrou novembro com retração de 3,5% em relação a outubro, somando 94,2 milhões de metros cúbicos por dia. O volume, quando comparado a igual mês de 2014, representa aumento de 2,7 %.

As informações indicam ainda que 306 concessões produtoras foram operadas em novembro do ano passado por 25 empresas, das quais 82 são concessões marítimas e 224, terrestres. Do total das concessões produtoras, oito são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais.

O grau API médio do petróleo produzido em setembro foi de 25, sendo 7,5% da produção considerada óleo leve (igual ou maior que 31° API); 60,2% óleo médio (entre 22º e 31º API); e 32,3% de óleo pesado (menor que 22º API).

Quanto maior o grau API, melhor e mais fino o petróleo produzido.

Os dados da ANP indicam, ainda, que o Brasil aproveitou, em novembro, 96,5% do gás natural produzido nos campos petrolíferos.

O percentual significa uma queima de gás em novembro de apenas 3,3 milhões de metros cúbicos por dia, uma redução que chega a 19,5%, se comparada ao mês anterior e de 24,8% em relação ao mesmo mês em 2014.

Pré-sal

Mesmo com a paralisação de plataformas em decorrência da greve dos petroleiros, a produção de petróleo e gás natural proveniente dos 53 poços do pré-sal fechou novembro do ano passado com aumento de 1,7%, em relação a outubro, atingindo 1,023 milhão de barris de petróleo e gás natural.

Segundo dados divulgados pela ANP, isoladamente, a produção de petróleo chegou em novembro a 820,2 mil barris por dia. Já a produção de gás natural fechou o mês em 32,3 milhões de metros cúbicos por dia.

Os poços do pré-sal são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal – abaixo da camada do sal.

Campos produtores

Os dados disponibilizados pela Agência Nacional do Petróleo revelam que os campos marítimos responderam por 93,7% do petróleo produzido em novembro de 2015 e por 76,1% do total do gás natural.

A produção de petróleo e gás natural ocorreu em 8.950 poços, sendo 779 marítimos e 8.171 terrestres. Já os campos operados pela Petrobras produziram 93,8% do petróleo e gás natural.

O campo de Lula, na Bacia de Santos, voltou a ser o maior produtor de petróleo e gás natural, com uma média de 380,8 mil barris diários de petróleo e 18,1 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural.

Já Carmópolis, na Bacia de Sergipe, teve o maior número de poços produtores: 1.056. Marlim, na Bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores: 61.

As bacias maduras terrestres (campos/testes de longa duração das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) produziram 148,8 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 124,8 mil barris diários de petróleo e 3,8 milhões de metros cúbicos de gás natural.

Do total, 145,6 mil barris de óleo equivalente por dia foram produzidos pela Petrobras e 3,2 mil por concessões não operadas pela Petrobras.

Edição: Kleber Sampaio