Você está aqui

Nova linha de financiamento à exportação do BNDES privilegia empresa inovadora

  • 23/02/2016 17h22publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou nova linha de financiamento à exportação, combinando a de pré-embarque para capital de giro, voltado à produção de bens para exportação, com o apoio a empresas de perfil inovador. “Fomos buscar a referência de perfil inovador com as demais linhas do banco de apoio à inovação”, disse hoje (23) o chefe de departamento da Área de Exportação do BNDES, Carlos Frederico Braz de Souza.

Com a nova linha, denominada Exim Pré-embarque Empresa Inovadora, destinada ao financiamento para exportação de bens de capital e de bens de consumo nacionais, “o banco dá capital de giro em condições favoráveis para que essas empresas possam investir, se capacitar e, portanto, operar com margem suficiente para poder exportar e se inserir internacionalmente”. A nova linha poderá também apoiar a exportação de serviços de tecnologia da informação (TI) desenvolvidos no Brasil.

O novo produto do BNDES contempla empresas produtoras e exportadoras com faturamento anual de até R$ 300 milhões, incluindo desde micro, pequenas e médias até médias grandes empresas, informou Braz de Souza.

Para se candidatar ao financiamento, as empresas inovadoras devem atender alguns critérios, entre os quais ter adquirido serviços tecnológicos por meio do Cartão BNDES no portal da instituição, participar de fundos de investimento de empresas emergentes, dispor de uma patente, ter sido apoiada por programas dos governos federal ou estadual de inovação ou ter recebido apoio de linhas de inovação do próprio BNDES nos últimos cinco anos.

“No momento em que a empresa preenche qualquer um desses requisitos, ela está habilitada ao apoio do banco nessa linha”, acrescentou Souza.

Os custos financeiros incluem Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), atualmente em 7,5% ao ano. “O que essa linha tem de diferente é a composição de custos”, destacou Carlos Frederico Braz de Souza. Na linha normal de pré-embarque à exportação, são cobrados 50% de TJLP mais 50% de taxa básica Selic.

“Nessa linha, eu faço 100% de TJLP. É um custo muito mais atrativo.” Outro diferencial é o prazo de financiamento de até 36 meses, contra o prazo normal de dois anos da linha de pré-embarque. O novo produto do BNDES já pode ser acessado pelas empresas inovadoras.

Para o presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Estado do Rio de Janeiro (TI Rio), Benito Paret, qualquer iniciativa que signifique financiar o setor de tecnologia da informação (TI) é bem-vinda. “A concorrência está com a faca nos dentes. Toda linha de financiamento com condições de prazo e que facilite às empresas, principalmente as menores, comercializar seus produtos no exterior é uma grande ajuda para o setor”, concluiu Paret.

Edição: Armando Cardoso