Você está aqui

Grupo técnico do governo diz que condições de suprimento de energia melhoraram

  • 02/03/2016 22h08publicação
  • Brasílialocalização
Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico  divulgou hoje (2) que as condições de suprimento de energia do Sistema Interligado Nacional melhoraram em relação ao mês anterior e o risco de deficit de energia nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste continua sendo zero. Em março do ano passado, o risco de deficit de energia estava em 6,1% para as regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Segundo o grupo, que reúne técnicos do setor elétrico do governo, o Sistema Interligado Nacional tem sobra estrutural de energia elétrica de 12.899 megawatts (MW) médios para atender a carga prevista. De acordo com o comitê, em 2016 entraram em operação 1.463 MW do total de 7.223 MW de capacidade de geração previstos para o ano.

Na semana passada, o comitê determinou o desligamento de 21 usinas termelétricas com maior custo de geração. A decisão foi possível por causa da melhora do nível dos reservatórios das hidrelétricas e permitiu que o governo anunciasse que, a partir de abril, não haverá cobrança extra na conta de luz por meio das bandeiras tarifárias.

A previsão do comitê é que os níveis de armazenamento dos reservatórios das regiões Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste, Sul e Norte, atingiriam, no final de março, valores da ordem de 57%, 34%, 85% e 57% respectivamente.

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico tem a função de acompanhar a continuidade e a segurança do suprimento de energia no país. Participam do grupo representantes de órgãos como o Ministério de Minas e Energia, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Operador Nacional do Sistema Elétrico, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Edição: Fábio Massalli