Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Setor de serviços cresce 1% de março para abril, diz IBGE

Publicado em 14/06/2018 - 09:33

Por Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

O volume do setor de serviços cresceu 1% de março para abril deste ano. Essa foi a primeira alta do setor do ano, neste tipo de comparação. Segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor teve queda de 0,2% de fevereiro para março.

Na comparação com abril de 2017, o setor teve um crescimento de 2,2%, a mais alta desde março de 2015 (2,3%). Apesar do bom desempenho em abril, o segmento acumula quedas de 0,6% no ano e de 1,4% no em 12 meses.

manicure_servicos.jpg
Setor de serviços cresce 1% de março para abril - EBC

Na passagem de março para abril, quatro das cinco atividades do setor de serviços tiveram alta: serviços prestados à família (1,5%), serviços profissionais, administrativos e complementares (1,7%), transportes e correio (1,2%) e outros serviços (0,7%).

Os serviços de informação e comunicação (-1,1%) é a única atividade em queda.

A receita nominal do setor de serviços teve altas de 0,9% na comparação com março, de 4,6% na comparação com abril de 2017, de 1,9% no acumulado ao ano e de 2,9% no acumulado de 12 meses.

Estimativa de queda

Apesar da alta registrada pelo IBGE, a Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que as vendas do setor de serviços devem ter uma queda de 0,5% em 2018, na comparação com 2017. Para a entidade, ainda não é possível confirmar se já teve início um processo de recuperação do setor.

O economista-chefe da CNC, Fabio Bentes, analisou que os serviços são o setor que têm maior dificuldade em recuperar o crescimento econômico. "Além do fraco nível geral de atividade econômica interna, a carência de investimentos, decorrentes das incertezas relacionados ao quadro político de 2018, ainda se coloca como um obstáculo à recuperação das atividades contempladas na PMS, uma vez que a maior parte das receitas geradas tem origem na prestação de serviços entre as empresas", explica.

 

Edição: Talita Cavalcante

Últimas