Você está aqui

Estudantes brasileiros têm baixo desempenho em avaliação internacional de lógica

  • 01/04/2014 11h32publicação
  • Brasílialocalização
Yara Aquino – Repórter da Agência Brasil
Brasília - Alunos de escolas públicas participam de preparação especial para competições internacionais

Alunos de escolas públicas participam de preparação especial para competições internacionaisElza Fiuza/Agência Brasil

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou hoje (1°) o resultado do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) que testou a habilidade de estudantes de 15 anos em resolver problemas de raciocínio lógico relacionados a situações práticas do cotidiano. O Brasil ocupa o 38° lugar entre os 44 países que tiveram a habilidade de seus estudantes avaliada.

Aplicado a cada três anos e voltado para leitura, ciências e matemática, o Pisa avaliou 85 mil estudantes e, pela primeira vez, mediu a capacidade de resolução de problemas mais elaborados de lógica e raciocínio. No Brasil, menos de 2% dos estudantes avaliados atingiram a performance máxima na solução dos problemas. O relatório da OCDE registra que, no país, as meninas tiveram desempenho melhor que o dos meninos e que a situação socioeconomica do estudante também tem impacto no resultado.

Os países que lideram o ranking da OCDE são Cingapura, Coreia do Sul e Japão. As três últimas posições são ocupadas por Uruguai, Bulgária e Colômbia.

Nos testes, os estudantes executaram tarefas em um aparelho MP3, tiveram que usar o controle remoto de um aparelho de ar-condicionado para controlar condições de temperatura e umidade e simular a compra de um bilhete de trem em um teclado sensível ao toque.

Em dezembro do ano passado a OCDE havia divulgado resultados do Pisa 2012 que mostram que, entre os 65 países comparados, o Brasil ficou em 58º lugar no desempenho dos estudantes nas três áreas de conhecimento avaliadas.
 

Edição: Denise Griesinger