Você está aqui

Ocupação de escola estadual no Rio completa uma semana

  • 28/03/2016 12h38publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Da Agência Brasil

Alunos do Colégio Estadual Prefeito Mendes de Moraes, na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro, ocupam a escola há uma semana em apoio à greve dos professores, impedindo a entrada de outras pessoas na escola. O objetivo da ocupação é abrir um canal de diálogo direto entre professores, estudantes e a Secretaria Estadual de Educação.

Segundo o aluno do 3° ano do Ensino Médio, Michel Policeno, o colégio foi o primeiro a ir às ruas em apoio ao movimento grevista dos professores, iniciado no dia 2 de março. “Essa é uma pauta de toda a sociedade. No começo, alguns alunos e professores pensavam que a ocupação era por baderna, para não estudar. Hoje, contamos com o apoio de todos aqui, pois perceberam que esse é um assunto de todos. Nosso ensino está sofrendo muito descaso. Estamos lutando por um sistema de qualidade, que forme cidadãos. Isso tem que ser frisado."

Policeno disse que o colégio é considerado pela Secretaria Estadual de Educação como colégio modelo, o que, segundo ele, é apenas “maquiagem”. “Quem chega na frente da escola, de fato pensa que é uma maravilha. Nada disso. É tudo maquiagem. Temos laboratórios que seriam muito úteis, mas que não são usados por falta de manutenção do governo. Alguns professores já desmaiaram em sala de aula por conta da falta de aparelhos de ar condicionado, já que o calor é intenso. Os poucos que funcionam não operam com 100% da sua capacidade. Essa história de colégio a ser seguido é pura fachada”, disse.

O Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro (SEPE-RJ) se manifestou favorável à ocupação dos alunos no Colégio Mendes de Moraes. Em nota, a entidade  classifica o ato como "corajoso". “Os estudantes, de forma ordeira e pacífica, ocuparam a escola e, com tal ato de coragem, demonstraram sua indignação com o atual estado de penúria e degradação da educação pública no nosso estado, situação para a qual nós, profissionais de educação e dirigentes do sindicato, há muito vimos alertando e denunciando."

Através de nota, a Secretaria de Estado de Educação informou que, na última quarta-feira (23), o secretário estadual de Educação, Antonio Vieira Neto, conversou, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), com representantes dos professores e dos alunos, na presença de integrantes da Defensoria Pública, e solicitou que as dependências do Colégio Prefeito Mendes de Moraes fossem liberadas, a fim de garantir o direito de estudar dos demais alunos. A secretaria reiterou que o secretário colocou-se à disposição para manter o diálogo.

Hoje, alunos de mais uma escola estadual, o Colégio Estadual Gomes Freire, na Penha, zona norte da cidade, também aderiram à mobilização e resolveram ocupar a escola.

Edição: Maria Claudia