Você está aqui

Coletores de lixo em greve no ABC Paulista têm audiência de conciliação

  • 01/04/2014 13h31publicação
  • São Paulolocalização
Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil Edição: Davi Oliveira

Em duas audiências de conciliação marcadas para a tarde de hoje (1º) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), os coletores de lixo de seis cidades da região do ABC Paulista (São Bernardo do Campo, Mauá, Diadema, São Caetano, Santo André e Ribeirão Pires), esperam que os patrões voltem atrás na decisão de limitar o aumento salarial em 10% e aceitem pagar o percentual de correção de 15,39% pretendido pela categoria.

Por determinação judicial, os coletores estão mantendo 50% dos serviços. A maioria iniciou a paralisação no dia de ontem (31) e, em São Bernardo do Campo, no último dia 24. Segundo o Sindicato dos Empregados em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação, Limpeza Urbana e Manutenção de Áreas Verdes Públicas e Privadas (Siemaco-ABC), as negociações envolvem entre 2,5 mil e 2,6 mil empregados. O piso salarial desses trabalhadores está em R$ 1.013,00, mais 40% a título de insalubridade e R$ 483,00, referente ao tíquete-alimentação.

De acordo com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Fundação Seade), o número de habitantes nas cidades onde foi decretada greve soma mais de 2,5 milhões de pessoas. Esses moradores produzem por dia em torno de 1,6 toneladas de lixo, conforme o relatório anual da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).