Você está aqui

Obras do Parque Olímpico no Rio estão dentro do cronograma, diz prefeito

  • 22/01/2015 21h59publicação
  • 23/01/2015 08h13atualização
  • Rio de Janeirolocalização
Nanna Pôssa - Repórter do Radiojornalismo EBC
O prefeito Eduardo Paes, acompanhado do senador eleito Romário Faria, visita as obras do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio (Nanna Pôssa/Agência Brasil)

O prefeito Eduardo Paes, acompanhado do senador eleito Romário, visita as obras do Parque Olímpico, na Barra da Tijuca     Nanna Pôssa/Agência Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, garantiu hoje (22) que as obras do Parque Olímpico, em construção na zona oeste da cidade, estão dentro do cronograma. Paes fez a constatação ao percorrer as obras em companhia do senador eleito Romário (PSB-RJ), convidado para conhecer o andamento dos trabalhos no local que abrigará o maior número de competições dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

“Na Olimpíada a gente vai caminhar direito, vamos respeitar prazos e custos. Em um evento deste tamanho, problemas vão acontecer, vai ter um atraso aqui, um negócio ali. A urbanização está bem adiantada, mas tem o acabamento fino que será deixado para o final”, disse o prefeito.

Sobre a construção do velódromo, que estava com três semanas de atraso, Eduardo Paes disse que “é um problema menor”, e a obra já se adequou ao calendário previsto. “Acho até chique que na Olimpíada a gente fale de três semanas de atraso, quando na Copa se falava de um ano. É uma obra que a gente presta atenção pela sua complexidade. Mas está no prazo, e se Deus quiser não vamos ter problema nenhum.”

Após a visita, Romário disse que ficou “positivamente surpreso”, mas criticou o Mundial de 2014. “O que estamos vendo aqui [no Parque Olímpico] é uma coisa completamente diferente [da Copa], uma coisa planejada, profissional, que está dentro da realidade do Brasil. Melhor seria praticamente impossível”, ressaltou.

O ex-jogador de futebol disse que vai batalhar por investimentos para manter o que foi construído. “O mais importante dessas obras é o legado que ficará. Me ponho à disposição para ir ao governo federal, ao Ministério dos Esportes para que se possa manter tudo que está sendo construído.”

O Parque Olímpico tem uma área de 1,18 milhão de metros quadrados e vai receber 16 modalidades olímpicas e nove paralímpicas. “O melhor é que as instalações são provisórias. O [estádio] de handebol vai virar quatro escolas municipais. O centro aquático vai virar duas arenas, com duas piscinas. Tudo é feito para não ter elefante branco. O que fica é o Centro Olímpico de Treinamento para esportes de alto rendimento. O grande legado esportivo é este”, defendeu Eduardo Paes.

*Título foi alterado

Edição: Stênio Ribeiro