Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Países da América Latina e Caribe trocam experiências sobre agroecologia

Publicado em 25/06/2015 - 15:28

Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil Brasília

Representantes do governo e de setores e movimentos ligados à agricultura familiar de países da América Latina e do Caribe estão reunidos nesta semana, em Brasília, para trocar experiências para o desenvolvimento da agroecologia na região.

O Seminário Regional sobre Agroecologia na América Latina e Caribe, que começou ontem (24), e termina amanhã (26), vai produzir um documento com diretrizes para ações de desenvolvimento rural sustentável que contribuam para a integração regional e a discussão de políticas públicas e implementação de programas.

Para o representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) no Brasil, Alan Bojanic, o modelo atual de agricultura, que tem como base o uso intensivo de insumos, já não é sustentável. Ele disse que, por isso, é preciso mudar para um modelo mais sustentável, mais inclusivo e mais comprometido com as comunidades. "Nosso compromisso é trabalhar na construção de modelos que permitam o desenvolvimento da agricultura familiar, a inclusão social e produtiva de jovens e mulheres e tenham a agroecologia como foco central.”

Segundo Bojanic, a América Latina avançou muito nesse tema graças a esforços de países como Cuba, que trabalhou para desenvolver sistemas sustentáveis e agroecológicos, e como o Brasil, que tem sua própria política de agroecologia e produção orgânica. “Poderemos conhecer experiências e iniciativas que valem a pena. Teremos novos insumos para formulação de políticas para fortalecer a agroecologia e criar os incentivos necessários para que essa pauta possa entrar nas agendas governamentais.”

Para o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, é preciso produzir alimentos em quantidade, para garantir o direito humano a uma alimentação adequada. “Precisamos também produzir com uma qualidade que, efetivamente, promova a saúde e a vida das pessoas, e não  doenças e morte, como estamos vendo, com o uso abusivo de agrotóxicos e sementes transgênicas”, ressaltou.

Segundo o ministro, é preciso investir no conhecimento, na pesquisa e no desenvolvimento científico, tecnológico e cultural, envolvendo todos os setores, para encontrar esse equilíbrio, assegurando também a biodiversidade e o resgate e valorização das comunidades produtoras.

No primeiro painel do evento – A Agroecologia como caminho para a segurança alimentar e nutricional –, a presidenta do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, Maria Emília Pacheco, disse que a agroecologia é fundamental para garantir a soberania alimentar das populações. “Estamos falando de uma ciência, de práticas sociais e de movimento social. É um chamamento importante para pensar o que a agroecologia representa, do ponto de vista da saúde e do meio ambiente, e a interrelação profunda que há entre falar de agroecologia e soberania e segurança alimental e nutricional.”

Maria Emília destacou que as diversas experiências apresentadas no encontro são fundamentais para mostrar que a agroecologia tem outras dimensões, como cultural, social e econômica, e superar a visão muito restrita de que a agroecologia é só uma soma de técnicas.

Durante o evento, também serão abordados temas como a agroecologia como peça central para a gestão sustentável dos recursos naturais e genéticos e seu papel na convergência da inovação social, institucional e tecnológica; os esforços dos países na formulação e articulação de políticas públicas; e os desafios futuros da região.

O seminário é promovido pela FAO em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), a Reunião Especializada Sobre Agricultura Familiar do Mercosul e a Aliança pela Soberania Alimentar na América Latina e no Caribe, com apoio do Programa de Cooperação Brasil-FAO.

Edição: Maria Claudia

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias