Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Inovação é destaque da incubadora de base tecnológica da UFRJ, diz gerente

Publicado em 25/07/2015 - 15:27

Por Alana Gandra - Repórter da Agência Brsil Rio de Janeiro

A incubadora de base tecnológica “é um ambiente formado para abrigar empresas cujos processos, produtos ou serviços são gerados a partir de resultados de pesquisas básicas ou aplicadas nos quais a ciência e a tecnologia geram inovação e representam valor agregado”, de acordo com a Universidade Federal de Pelotas (UFPel), situada no Rio Grande do Sul.

A incubadora tem como foco a criação de empresas com base no conhecimento tecnológico adquirido em centros e grupos de pesquisa da universidade, confirmou à Agência Brasil a gerente da Incubadora de Empresas do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe-UFRJ), Lucimar Dantas. A atuação da incubadora da Coppe-UFRJ está focada principalmente nas áreas de petróleo e gás, energia, meio ambiente, biologia e tecnologia da informação (TI).

Diferentemente de outras instituições que têm a etapa de pré-incubação, mais voltada à elaboração e ao desenvolvimento da ideia do negócio que vai ser residente, a incubadora da Coppe já começa na fase de incubação, onde vai oferecer infraestrutura física (salas para instalação das empresas, internet, telefonia, entre outros serviços) e mais um pacote para o desenvolvimento do negócio.

O típico empresário de uma empresa nascente incubada é o aluno recém-saído da universidade. “É alguém que conhece muito da tecnologia, mas tem uma fragilidade grande na área de negócio”. Por isso, o pacote de desenvolvimento do negócio prepara o empreendedor para lidar com outras variáveis que não apenas a tecnologia. Esse pacote é composto por assessorias individuais, treinamento, capacitação e acompanhamento pela equipe da incubadora. Questões jurídica e contábil, finanças, marketing integram a gestão da empresa, que é acompanhada pela coordenação da incubadora.

As incubadoras convivem com empresas que estão nascendo. “Elas estão aqui para decolar”, ressaltou Lucimar Dantas. Ao chegarem a uma incubadora, as companhias emergentes estão ávidas por orientação. No primeiro ano, há um reforço na formação do empreendedor, treinamento, modelagem do negócio. A partir do segundo ano, começa um desenvolvimento mais comercial, com a chegada ao mercado, que “é muito dura para uma empresa inovadora”. Na reta final, ocorre uma aceleração comercial “para valer”, salientou a gerente da incubadora da Coppe-UFRJ.

O ciclo regular de incubação são três anos, prorrogáveis por mais dois. Mas não necessariamente a empresa incubada tem que cumprir esse prazo de cinco anos, observou Lucimar. “Ela pode sair antes. Não é o mais comum, mas é possível”. O tempo de incubação tem a ver com a natureza do negócio. Empresas com produtos, serviços ou processos com mais inovação e tecnologia necessitam de um maior tempo de maturação do que outros que desenvolvem negócios mais digitais, por exemplo, para os quais em três anos já dá para a empresa incubada mapear a viabilidade da ideia e “bater asas para voos maiores”, completou Lucimar.

Desde o primeiro mês de incubação, as empresas nascentes pagam uma taxa que dá direito à infraestrutura física e ao pacote de desenvolvimento do negócio. Dependendo do espaço ocupado, a taxa cobrada pelas incubadoras no país é variável. No caso da Incubadora de Empresas da Coppe-UFRJ, o valor médio mensal atinge R$ 1 mil. As salas onde as empresas são instaladas variam de 20 metros quadrados a 120 metros quadrados. Nessas últimas, mais voltadas a empresas nascentes da área de petróleo e gás, os custos são maiores.

Primeira incubadora de base tecnológica da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a Conectar viabiliza a operacionalização dos processos de pré-incubação, incubação e pós-incubação de empresas nascentes, envolvendo assessorias em gestão, comunicação visual e design, comunicação e infraestrutura.

Edição: Valéria Aguiar

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias