Você está aqui

Vacina contra dengue mostra mais eficácia em maiores de 9 anos

  • 27/07/2015 21h49publicação
  • Brasílialocalização
Aline Leal - Repórter da Agência Brasil

Artigo publicado hoje (27) na revista New England Journal of Medicine mostra que a vacina contra a dengue, do laboratório francês Sanofi Pasteur, tem maior eficácia em pessoas com mais de 9 anos. Como o imunizante foi testado em pessoas de até 60 anos, este é o limite da indicação do produto.

O imunizante, de forma geral, mostrou eficácia de 60,8% contra os quatro sorotipos da doença,  taxa de redução de hospitalização de 80,3% e diminuição de 95,5% de casos graves da dengue. Uma vez aprovada, a imunização será feita em três doses, com intervalos de seis meses.

A vacina aguarda registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) desde março, quando a Sanofi entrou com pedido, mas a agência reguladora não deu prazo para o fim da análise do pedido. Segundo Sheila Homsani, diretora médica da Sanofi Pasteur, até o final do ano, o laboratório espera conseguir o registro da vacina em 20 países. O levantamento publicado hoje é uma junção dos estudos feitos na América Latina e na Ásia.

Ela disse que o laboratório analisou a população acima e abaixo de 9 anos e avaliou que a eficácia da vacina, acima dessa faixa de idade, contra os quatro sorotipos foi 66%, a eficácia contra casos graves continua altíssima, de 93% e a proteção contra hospitalizações fica em 80,8%, "um resultado superbom”.

Nas pesquisas feitas na Ásia, os resultados mostram que a eficácia da vacina entre crianças de 2 a 5 anos é de 33%, considerada baixa pelo laboratório. Na publicação de hoje, a empresa mostra que houve mais hospitalizações de menores de 9 anos entre os asiáticos. “Vamos avaliar se tais resultados são porque os anticorpos caem mais rápido ou porque o sistema imunológico das crianças ainda é imaturo.”

O valor do produto deve ser determinado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos, caso o registro seja concedido. O desenvolvimento da vacina durou 20 anos. A Sanofi Pasteur foi o primeiro laboratório do mundo a pedir o registro da vacina.

Edição: Stênio Ribeiro