Você está aqui

São Paulo começa a fazer testes rápidos para detectar dengue

  • 18/01/2016 10h07publicação
  • São Paulolocalização
Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil
doação de sangue

Para fazer o teste rápido de detecção da dengue, o paciente terá o sangue coletado como num exame de sangue tradicional, não sendo necessário ficar em jejumArquivo/Agência Brasil

A rede pública municipal de saúde começa hoje (18) a fazer testes rápidos – os resultados ficam prontos em 20 minutos – para a detecção de quatro sorotipos de dengue. O exame ficará disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital paulista até a primeira quinzena de março, período do pico de transmissão da doença.

A vantagem da técnica é a identificação da doença ainda na fase inicial da transmissão. Antes, o resultado do teste só ficava pronto em uma semana. O paciente terá o sangue coletado como num exame de sangue tradicional, não sendo necessário ficar em jejum. O teste poder ser feito por pessoas de todas as idades e não há contraindicação.

Para confirmar o diagnóstico, o paciente pode ter de passar pelos exames Elisa IGM e NS1, também disponíveis da rede pública, mas que demoram uma semana para ficar prontos.

Planos de saúde
A partir deste mês, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) determinou que os planos de saúde passem também a cobrir os testes rápidos para detectar dengue e febre chikungunya. É possível obter ainda um diagnóstico presumido do vírus Zika. Segundo a ANS, o exame para detecção da dengue tem cobertura obrigatória. 

Edição: Talita Cavalcante