Você está aqui

ANS cria grupo técnico para adotar medidas de enfrentamento do vírus Zika

  • 24/02/2016 21h54publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Paulo Virgílio - Repórter da Agência Brasil

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou hoje (24) a criação de um grupo técnico específico para debater a incorporação de exames para detecção do vírus Zika no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. A decisão foi tomada em reunião no Rio de Janeiro, sede da ANS, dos integrantes do Comitê Permanente de Regulação da Atenção à Saúde (Cosaúde), com o objetivo de discutir as medidas de controle e enfrentamento do vírus Zika e as ocorrências de microcefalia a ele relacionadas.

De acordo com nota divulgada hoje à noite pela ANS, cerca de 15 instituições participaram do encontro, entre representantes de operadoras de planos de saúde, prestadores de serviços e órgãos de defesa do consumidor. Uma nova reunião será feita no início de março para discutir os detalhes do grupo técnico cuja criação foi anunciada hoje.

A agência também detalhou as medidas que estão sendo tomadas junto às operadoras e à população em geral para a prevenção e o combate ao mosquito Aedes aegypti, agente transmissor da zika, dengue e chikungunya. Para o diretor-presidente da ANS, José Carlos Abrahão, é fundamental a disseminação de informações qualificadas, capazes de dar tranquilidade e segurança à população, em um momento em que ainda pairam muitas incertezas em relação ao vírus e suas consequências.

"Reunimos este grupo, que é estratégico para a saúde, a fim de promover uma discussão técnica, segura e de qualidade em prol da sociedade, buscando o alinhamento das informações e a colaboração para o enfrentamento dessa situação crítica que o país está vivendo", destacou o diretor da agência.
 
A ANS informou ainda que publicará nesta quinta-feira, em seu portal na internet, uma página específica para divulgar informações sobre prevenção e combate ao Aedes aegypti e às doenças transmitidas e/ou relacionadas ao mosquito. O material segue as orientações e diretrizes do Ministério da Saúde e contém informações específicas sobre o setor de saúde suplementar,  incluindo ações que estão sendo executadas pelas operadoras de planos de saúde para enfrentamento da situação.

 

>> Leia mais matérias da Agência Brasil sobre o tema

Edição: Fábio Massalli