Você está aqui

Reforma na catedral de Mariana fecha ponto turístico em Minas Gerais

  • 14/02/2016 19h38publicação
  • Brasílialocalização
Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil

Um dos principais pontos turísticos da cidade de Mariana (MG), a Basílica Nossa Senhora da Assunção, conhecida como Catedral da Sé, será fechada por mais de um ano para reformas arquitetônicas. O fechamento para restauração, orçada em R$ 2 milhões, aconteceu logo depois da missa celebrada às 19h deste domingo (14), pelo arcebispo dom Geraldo Lyrio, seguida por um concerto aberto ao público.

As obras na Catedral da Sé foram contratadas pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e, de acordo com informações da prefeitura da cidade, vão incluir reparos e trocas de alvenaria, pisos, forros, telhado, estrutura, instalações hidrossanitárias e de drenagem. Enquanto durarem as reformas, tanto celebrações quanto visitações serão paralisadas.

A catedral é um dos locais mais procurados pelos visitantes da cidade histórica. O prédio começou a ser construído em 1713, a partir da capelinha da Conceição, em madeira e taipa. Nas obras realizadas ao longo dos anos foram mantidos os padrões arquitetônicos originais e a fachada da igreja foi coberta por pedra e cal, seguindo características do estilo barroco jesuítico. No interior da Sé estão relíquias como a pintura do batistério, atribuída a Manuel da Costa Athayde, e o órgão Arp Schnitger, doado no século XVIII por D. João V.

A reforma da catedral é a segunda ação entre 15 previstas para a cidade, a partir de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) destinados às cidades históricas. No total, o município terá R$ 67 milhões para medidas de recuperação e revitalização, restauração de monumentos e projetos de desenvolvimento econômico e social e de suporte às cadeias produtivas locais. O primeiro investimento começou no dia 3 de janeiro, quando foi iniciada a restauração da Igreja do Rosário dos Pretos e a implantação do Museu Vieira Servas em Mariana. Oito cidades mineiras, incluindo Mariana, estão inscritas no programa.

Edição: Stênio Ribeiro