Você está aqui

Demanda por voos domésticos tem queda no país, diz associação

  • 22/03/2016 15h59publicação
  • São Paulolocalização
Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

A demanda por voos domésticos no Brasil recuou 3,1% em fevereiro em relação ao mesmo mês de 2015, segundo Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), criada pelas empresas Avianca, Azul, Gol, Tam e Trip. Essa foi a sétima variação negativa consecutiva. A oferta teve queda de 1% na mesma base anual.

A retração da demanda superior à da oferta pela quinta vez seguida revela, segundo a associação, o desaquecimento do mercado e mostra-se como limitador dos esforços do setor para preservar a ocupação dos voos.

O total de passageiros transportados em voos dentro do país somou 7,2 milhões, um decréscimo de 0,7% sobre fevereiro do ano passado. Os números são a compilação das estatísticas de Avianca, Azul, Gol e Tam, responsáveis por 99% do mercado doméstico, segundo a Abear.

Para a associação, a sequência de resultados mensais negativos aponta para um resultado ruim para o ano de 2016. Considerados os 12 meses mais recentes (março/15 a fevereiro/16) comparados aos 12 meses imediatamente anteriores, a oferta tem redução de 0,3%, para uma demanda que recua 1%.

Em fevereiro, a participação do mercado doméstico por empresas ficou distribuída da seguinte forma: Gol (36,24%), Tam (35,71%), Azul (16,71%) e Avianca (11,33%).

Transporte internacional

No segmento internacional, a demanda consolidada por transporte aéreo das associadas Abear ainda mostra crescimento, com aumento de 5,5% em fevereiro ante o mesmo mês do ano anterior. As variações mensais, no entanto, mostram tendência de desaceleração desde meados do ano passado, quando estavam em um patamar de dois dígitos, afirmou a associação. A oferta foi expandida em 4,2% no mês.

Para o segmento internacional, as estatísticas representam apenas uma parcela do mercado total, ressaltou a entidade. A fatia restante é detida pelas companhias aéreas de bandeira estrangeira. Entre as brasileiras, a participação da demanda internacional ficou dividida da seguinte forma em fevereiro: Tam (77,77%), Gol (12,57%), Azul (9,57%) e Avianca (0,09%).

Em janeiro de 2016, último dado disponível na base da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), na qual é possível analisar o mercado total, ou seja, incluindo brasileiras e estrangeiras, a demanda internacional consolidada teve retração de 3,6%. Como no mês o desempenho das companhias brasileiras (crescimento de 6,6%) foi melhor do que o das congêneres estrangeiras (queda de 6,9%), as empresas nacionais ganharam participação, passando de 25% para 27%.

Cargas

As associadas Abear transportaram 22,6 mil toneladas de cargas no mercado doméstico no mês de fevereiro, ou seja, 8,3% abaixo do registrado no mesmo mês do ano passado. Na mesma base de comparação, nos voos internacionais, a carga total movimentada cresceu 38,7%, chegando a 16,6 mil toneladas.

Em 12 meses, o mercado doméstico de cargas caiu 9,5%, enquanto mercado internacional cresce 7,3%. Os números abrangem as operações de Avianca, Azul, Gol, Tam e Tam Cargo.

Edição: Maria Claudia