Você está aqui

Viva Rio lança aplicativo para ajudar profissionais a conseguir trabalho e renda

  • 23/03/2016 15h50publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

Viva Rio

Nessa primeira fase do programa, a ideia da Viva Rio  é criar uma rede de prestadores de serviços, profissionais autônomos e liberais nas comunidades carentesDivulgação/Vitor Madeira/Viva Rio

A organização não governamental (ONG) Viva Rio lançou hoje (23), na Vila Olímpica Carlos Castilho, no Complexo do Alemão, zona norte do Rio de Janeiro, a plataforma virtual gratuita Viva Oportunidade, cujo objetivo é ajudar profissionais autônomos a encontrar oportunidades de emprego e geração de renda.

A ferramenta tecnológica foi desenvolvida e lançada inicalmente como teste na cidade de Macaé, no norte fluminense, e chega agora à capital do estado. O resultado registrado em Macaé foi considerado excelente pelo coordenador regional do Viva Rio Macaé, Alexandre Fernandes. “Temos hoje em Macaé e região cerca de 500 anúncios de profissionais e tem tido bastante demanda de clientes contratando esses profissionais. Está dentro do que a gente planejou. Está bem legal”, afirmou Fernandes.

No Rio de Janeiro, a expectativa é tentar reduzir, de alguma forma, a situação grave de desemprego, afirmou o coordenador. “A grande proposta do Viva Rio, ao trabalhar com esse programa, é tentar criar um caminho alternativo para pessoas que hoje estão desempregadas e não estão conseguindo se colocar no mercado de trabalho.”

Considerando a densidade populacional do Rio de Janeiro e do Grande Rio, a ONG acredita que poderá gerar uma ação de grande relevância e impacto social. Nessa primeira fase do programa, a ideia é criar uma rede de prestadores de serviços, profissionais autônomos e liberais nas comunidades carentes.

Viva Rio

A proposta é tentar reduzir a grave situação de desemprego no Rio de JaneiroDivulgação/Vitor Madeira/Viva Rio

O Viva Oportunidade aproxima de forma direta clientes e prestadores de serviços, sejam pessoas físicas ou empresas, promovendo o desenvolvimento de microatividades econômicas de diversos setores e formando uma grande rede colaborativa.

“Vamos fazer uma caravana pelas principais comunidades do Rio de Janeiro para semear essa alternativa. Temos de conseguir romper a lógica de que a única solução é conseguir emprego. Se eu não conseguir emprego, eu morro, Tem de ter alternativa”, acrescentou Alexandre Fernandes.

No próximo dia 30, às 10h, o aplicativo será lançado na comunidade do entorno do bairro de Guadalupe, zona norte da capital fluminense.

Em abril, em data ainda a ser definida, a plataforma chegará à comunidade da Rocinha, em São Conrado, zona sul do Rio de Janeiro. 

Edição: Armando Cardoso