Você está aqui

Mulheres entram de graça na reabertura do Jardim Zoológico do Rio

  • 08/03/2016 17h40publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil

 

Zoológico do Rio

O Zoológico do Rio foi reaberto após cumprimento de exigências do Ibama e do Ministério PúblicoDivulgação/Eliane Carvalho/Prefeitura do Rio de Janeiro

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a prefeitura carioca reabriu hoje (8) o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro, com visitação gratuita para mulheres e filhos. A abertura foi autorizada depois que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMAC) cumpriu as exigências estabelecidas pelo Ministério Público Federal no estado (MPF/RJ) e pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que haviam sido acordadas no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado no dia 19 de fevereiro.

O secretário de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz, garantiu que todas as exigências foram cumpridas. “Todas elas foram executadas”. Afirmou, no entanto, que é necessário um salto de qualidade, que ocorrerá por meio do processo de concessão do zoológico à iniciativa privada. O edital de concessão já foi publicado. Segundo a secretaria, a empresa vencedora da licitação terá de investir R$ 60 milhões para implementar um novo conceito de zoológico no local.

Viveirão das aves

“O salto de qualidade é adaptarmos um zoológico muito antigo a uma visão mais moderna de visitação, em que os animais possam estar em um espaço muito maior do que a maioria está hoje. Que eles possam conviver com espécies compatíveis e que o espectador fique em espaço menor”, adiantou Muniz.

Dentre os principais pontos da reforma, o secretário destacou a reativação do Viveirão das aves, com visitas guiadas por educadores ambientais, e a qualificação da área dos mamíferos.

Também foram implantados pontos de fuga para os animais, “que são maneiras mais amigáveis para que os animais possam se proteger dos olhos dos visitantes, com vegetação colocada”. Conforme Muniz, esse processo ainda não foi totalmente concluído. Foram restaurados também o sistema de cachoeiras dos felinos, o núcleo de reprodução e a área dos elefantes, com a criação de separação para melhorar a convivência entre eles.

O secretário informou que o Parque dos Cervos ainda está em processo de cumprimento de exigências, embora já tenha ocorrido o plantio da grama, com os animais sendo transferidos para outra área de maneira temporária. “Então, todas as exigências foram cumpridas.” Muniz disse que, depois de nova visita dos fiscais do Ibama e do MPF/RJ, no dia 25 de fevereiro, a abertura do zoológico foi considerada apta.

Vera Lúcia Ribeiro é frequentadora do Jardim Zoológico desde criança. Hoje, ela voltou ao local comemorando o Dia Internacional da Mulher e seu aniversário. Segundo ela, o retorno do zoo era um presente para ela e para a cidade do Rio de Janeiro, “porque precisamos disso. Isso aqui é nosso pulmão. Não podia ficar fechado”. 

Vera Lúcia sentiu diferença no primeiro dia de reabertura do zoo, que foi fechado pelo Ibama no dia 14 de janeiro, devido às más condições do local. “Há muito mais funcionários trabalhando. Está muito bem limpo. É um recomeço”, ressaltou.

Termo de Ajustamento de Conduta

Pelo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a prefeitura do Rio de Janeiro se comprometeu a realizar 26 intervenções no Jardim Zoológico da cidade, de modo a adequar o parque aos parâmetros mínimos de funcionamento exigidos pela legislação federal e pelo Ibama.

Considerado o mais antigo do país, o Jardim Zoológico do Rio de Janeiro foi reformado pela última vez em 1993, de acordo com o MPF/RJ. Após as fiscalizações do Ibama, confirmadas pelo Tribunal de Contas do Município, Polícia Federal e MPF, foi atestado o processo de sucateamento do estabelecimento. Isso resultou no ajuizamento de ação civil pública em setembro de 2015.

Como as exigências mínimas determinadas pela legislação para o manejo da fauna silvestre e exótica em cativeiro não foram atendidas, o Ibama determinou a interdição administrava do estabelecimento no dia 14 de janeiro de 2016. As obras emergenciais necessárias para a reabertura do parque foram negociadas pela prefeitura no TAC.

O MPF/RJ esclareceu que, em caso de descumprimento de quaisquer obrigações previstas, a prefeitura sofrerá multa diária de R$ 100 mil reais. 

Edição: Armando Cardoso