Você está aqui

Trabalhadores fazem greve em unidade dos Correios no Rio de Janeiro

  • 09/03/2016 23h27publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil

Em greve há três dias, trabalhadores dos Correios fizeram hoje (9) uma manifestação em frente ao Centro de Distribuição Domiciliária (CDD) de Senador Camará, na zona oeste do Rio. Segundo a diretora regional do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos do Rio de Janeiro (Sintect-RJ), Débora Henrique, a paralisação é para chamar atenção para as condições precárias da unidade e a sobrecarga de trabalho diante do déficit de empregados.

Os trabalhadores reivindicam água potável, banheiros limpos e obras no prédio, que, de acordo com eles, está com problemas estruturais. Os trabalhadores mostraram ainda carros e motos sem condições de uso, acumulados no local, podendo resultar em focos de Aedes aegypt.

Pelos cálculos do sindicato, a paralisação teve adesão de 40 dos 60 empregados da unidade, que tem um déficit de 20 trabalhadores para  a operação. “Desde 2011 a empresa não faz concurso público e  isso sobrecarrega demais quem está trabalhando. Um carteiro chega a fazer o trabalho de três”, disse Débora Henrique.

“Isso afeta diretamente a população, que espera receber as suas encomendas dentro do prazo. Muitas vezes, a pessoa vai para as filas dos postos de atendimento para tentar resgatar a sua mercadoria, que está dentro da unidade e o Correio não tem funcionário suficiente para entregar”, disse Débora.

A sindicalista destacou também a falta de segurança do local, onde tem ocorrido casos de assaltos aos carteiros. “São cerca de três assaltos por dia, ali. Quando o carteiro é assaltado, entra em licença e só volta quando estiver melhor, porque fica abalado psicologicamente. Aí, causa mais um déficit. A empresa diz que é um problema de segurança pública, mas, na verdade, acho que é um problema de todos”, acrescentou  a sindicalista

De acordo com os Correios, a paralisação é parcial e mais de 50% dos funcionários da unidade trabalharam normalmente nesta quarta-feira. A empresa informou, ainda, que houve uma reunião de seus representantes com empregados para tratar do retorno ao trabalho no CDD Senador Camará, o que a companhia espera que aconteça nesta quinta-feira (10). Segundo os Correios, entre as providências tomadas houve capina do terreno,  controle de pragas e um mutirão de limpeza no Complexo de Bangu, de onde a unidade faz parte. A empresa prometeu fazer obras nos banheiros, como reclamam os empregados.

A empresa explicou também que os carros estacionados no CDD,  não estão abandonados e aguardam a realização de leilões, que dependem de medidas determinadas pela legislação para a alienação de patrimônio. De acordo com os Correios, o processo envolve, ainda, a  avaliação dos veículos, contratação de leiloeiro e a realização do leilão.


 

Edição: Jorge Wamburg