Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Governo vai recuperar 441 prédios da União desocupados

Publicado em 14/05/2018 - 11:01

Por Andreia Verdélio - Repórter da Agência Brasil Brasília

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, informou hoje (14) que está em andamento um edital para a contratação de empresa para fazer a recuperação de 441 unidades habitacionais em prédios da União desocupados.

Segundo Baldy, o Ministério das Cidades trabalha com a Secretaria do Patrimônio da União (SPU), ligada ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, na identificação de todos os edifícios que estão ocupados irregularmente ou desocupados para adequá-los à legislações municipais como residências.

O programa Por Dentro do Governo entrevista, o ministro das Cidades, Alexandre Baldy
Ministro das Cidades, Alexandre Baldy, dá entrevista para o programa Por Dentro do Governo, da NBr (José Cruz/Agência Brasil)

“Os prédios antigos têm esse enorme desafio e não são simples as reconstruções ou reformas”, disse, explicando que é fundamental modernizar e adequar as edificações às normas de segurança e à legislação de cada município.

Baldy contou que esse estudo está sendo feito há quatro meses. “Investir nessas unidades habitacionais dentro dos centros urbanos nos facilita, porque as pessoas já estão na porta do trabalho, com todas as facilidades dos meios de transporte já existentes e fundamentalmente os equipamentos sociais, como escolas, creches, unidades de saúde, segurança pública, então não há mais investimentos adicionais necessários do governo federal”.

De acordo com o ministro, o deficit habitacional hoje no Brasil chega a 6,1 milhões de moradias. “A nossa meta são 650 mil novas moradias até o final do ano, quase 10% desse déficit”, disse. Ele lembrou que em 2017 o governo federal entregou 440 mil unidades habitacionais, por meio do Programa Minha, Casa Minha Vida.

Baldy participou hoje (14) do programa Por Dentro do Governo, uma produção da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) em parceria com a Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Edição: Fernando Fraga

Últimas