Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Operação em comunidades do Rio mobiliza mais de mil agentes

Publicado em 09/06/2018 - 10:37

Por Léo Rodrigues - Repórter da Agência Brasil* Rio de Janeiro

As forças de segurança vinculadas ao Gabinete de Intervenção Federal realizam hoje (9) no Rio de Janeiro uma operação integrada em quatro comunidades da zona sul do Rio de Janeiro. Mais de mil agentes foram mobilizados. As ações se desenvolvem na Rocinha, Vidigal, Chácara do Céu e Parque da Cidade. Há também emprego de veículos blindados, helicópteros e equipamentos pesados de engenharia.

De acordo com o Comando Conjunto das Forças Armadas, o trabalho envolve cerco, estabilização dinâmica da área e remoção de barricadas erguidas pelo tráfico. Além disso, revistas seletivas de pessoas e veículos também são realizadas. Mais de 120 mil pessoas moram nas áreas abrangidas pelas ações.

Rio de Janeiro - Militares continuam na favela da Rocinha para combater confrontos entre facções de traficantes de drogas (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Nas redes sociais, diversos moradores da Rocinha comentaram sobre a troca de tiros nas primeiras horas da manhã - Fernando Frazão/Agência Brasil

 

Nas redes sociais, diversos moradores da Rocinha deram notícia de troca de tiros nas primeiras horas da manhã. "Como é que dorme na Rocinha nesse sábado de tiroteio?", escreveu um internauta no Twitter por volta de 8h.

A Polícia Militar participa da operação com bloqueios de possíveis rotas de fuga de criminosos e a Polícia Civil faz a checagem de antecedentes criminais e cumpre mandados judiciais. A Polícia Federal também está presente nas áreas das comunidades.

De acordo com o Comando Conjunto, algumas vias na região poderiam ser interditadas. A autoestrada Lagoa-Barra chegou a ficar interditada devido a ação, mas o Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que a via já tinha sido totalmente liberada nos dois sentidos às 7h30. Na Avenida Niemeyer, que liga o Leblon a São Conrado, há bastante reforço no policiamento.  

*Colaborou Lígia Souto, repórter da Rádio Nacional no Rio de Janeiro

Edição: Valéria Aguiar

Últimas