Digite sua busca e aperte enter

Compartilhar:

Incêndio no Ninho do Urubu completa um mês

Missa reuniu parentes dos mortos. Apenas uma família foi indenizada

Publicado em 08/03/2019 - 19:57

Por Agência Brasil Rio de Janeiro

No dia em que se completou um mês da morte de dez atletas no incêndio que destruiu o Ninho do Urubu, o Flamengo reuniu parentes das vítimas, sócios e funcionários em uma missa na sede do clube. O celebrante foi o padre Waldecir Gonzaga Vigário, da Paróquia de São Judas Tadeu, que é padroeiro do clube.

Um incêndio ocorrido na madrugada de 8 de fevereiro no alojamento das categorias de base, no Centro de Treinamento George Helal, conhecido como Ninho do Urubu, matou dez atletas e feriu três. A área incendiada, conforme a prefeitura do Rio, não constava como destinação de alojamento em projetos aprovados pela Secretaria de Urbanismo.

Sobreviventes

Até hoje, o atleta Johnata Ventura, que teve 30% do corpo queimado, continua internado. Ele está em uma clínica particular, após passar um período no Hospital Pedro II, especializado em queimaduras.

Os outros dois feridos, Cauan Emanuel e Francisco Dyogo, receberam alta na primeira quinzena de fevereiro.

Indenização

O Flamengo chegou a um acordo de indenização com apenas uma família dos dez mortos. O clube alega questões de segurança para não divulgar valores nem o nome da família. O clube informou que a negociação com as outras famílias continua. A oferta inicial do clube foi entre R$ 300 mil e R$ 400 mil, além de um salário mínimo mensal por 10 anos para cada família.

Centro de treinamento presidente George Helal, conhecido com Ninho do Urubu, é utilizado pela equipe de futebol do Flamengo. Foto da área destruída no centro de treinamento do Flamengo após incêndio.
Incêndio no Ninho do Urubu completa um mês. Dez atletas morreram e três ficaram feridos - Ricardo Moraes/Reuters/Direitos reservados

Interdição

Desde o dia 27 de fevereiro, o Ninho do Urubu está interditado. As portas foram lacradas e só serão reabertas quando as pendências referentes ao alvará de licença do estabelecimento e ao habite-se forem regularizadas, segundo a prefeitura.

As causas do incêndio também estão sendo investigadas.

Edição: Carolina Pimentel

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias