Digite sua busca e aperte enter

O presidente da associação de moradores da Muzema, Marcelo Diniz Anastácio da Silva, presta depoimento na  Delegacia Policial, na Barra da Tijuca, sobre o desabamento de dois prédios na comunidade.
 Fernando Frazão/Agência Brasil

Compartilhar:

Polícia ouve presidente da Associação de Moradores da Muzema

Líder diz que sente pela tragédia e que ajudará no que for possível

Publicado em 16/04/2019 - 19:28 e atualizado em 16/04/2019 - 21:14

Por Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil Rio de Janeiro

O presidente da Associação de Moradores da Muzema, Marcelo Diniz, depôs nesta terça-feira (16) na 16ª Delegacia de Polícia (16ª DP).

Diniz, que chegou à DP por volta do meio-dia, acompanhado por duas advogadas, foi ouvido pela delegada titular, Adriana Belém, e deixou o local pouco antes das 18h.

Na saída, após quase seis horas de depoimento, ele deu apenas uma declaração aos jornalistas e não respondeu a qualquer outra pergunta. "Já dei todos os esclarecimentos possíveis às autoridades e estou disposto a ajudar no que for possível. Estou muito sentido com tudo", disse Diniz, antes de entrar no carro de suas advogadas.

A delegada Adriana Belém quer saber, entre outras coisas, qual o papel que as associações de moradores têm na comercialização de imóveis irregulares na Muzema e em outras áreas controladas pela milícia que atua na região.

Até esta tarde, foram retirados dos escombros dos dois edifícios que desabaram sexta-feira (12) os corpos de 16 pessoas. Ainda estão desaparecidos oito moradores.

Milícia

Os trabalhos policiais foram divididos entre a 16ª DP, encarregada de assumir o inquérito sobre os desabamentos, e a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), responsável pelo aprofundamento da investigação sobre a milícia que domina a região e promove a construção ilegal de prédios, muitos deles erguidos em áreas públicas, de proteção ambiental.

A polícia tem encontrado dificuldades em ouvir moradores da Muzema, que têm medo de sofrer represálias por parte dos milicianos. A delegada Adriana Belém já convocou algumas testemunhas, que têm evitado comparecer à delegacia.

Texto ampliado às 21h14


 

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias