Você está aqui

Davos: crise migratória põe em risco área de livre trânsito na UE, diz Lagarde

  • 23/01/2016 11h55publicação
  • Davos (Suíça)localização
Da Agência Lusa
A diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, participa do Fórum Econômico Mundial, em Davos (Agência Lusa/Direitos Reservados)

A diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, disse que a imigração é uma das preocupações da EuropaAgência Lusa/EPA/Jean-Christophe Bott/Direitos Reservados

Em debate no Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça), a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou hoje (23) que a crise dos migrantes na Europa põe em risco a sobrevivência do chamado espaço Schengen, zona de livre circulação de pessoas dentro da União Europeia.

"Sim, penso que sim", disse Largade, quando questionada sobre se a crise da migração na Europa pode comprometer a sobrevivência do espaço Schengen. A diretora-gerente do FMI destacou, no entanto, que este é o seu ponto de vista e não o do fundo.

A declaração de Lagarde se soma à posição de vários líderes europeus que consideraram esta semana em Davos que a chegada em massa de imigrantes à Europa compromete a sobrevivência das instituições europeias, que lutam para encontrar uma solução, incitando os países-membros a agir individualmente.

Christine Lagarde disse que o FMI, como instituição, considera que, se esta crise for bem gerida, poderá vir a beneficiar economicamente alguns países, concedendo-lhes um crescimento adicional.

A diretora-gerente destacou que, do ponto de vista econômico, "a Europa está definitivamente em melhor forma do que no ano passado". Mas, segundo ela, há duas preocupações importantes para o continente: a crise dos refugiados e o risco de 'Brexit', a eventual saída do Reino Unido da União Europeia.

Edição: Juliana Andrade