Você está aqui

Jornal do Partido Comunista Chinês alerta para risco de guerra na Coreia

  • 17/02/2016 08h16publicação
  • Pequimlocalização
Da Agência Lusa

Um jornal oficial do Partido Comunista da China (PCC) alertou hoje para os riscos de uma possível guerra na Península Coreana, apoiando as sanções contra a Coreia do Norte e a destruição do seu arsenal nuclear.

Em editorial, o Global Times aconselha também a China a colocar mais "mísseis" no Noroeste da Ásia, caso a Coreia do Sul instale o sistema antimísseis norte-americano THAAD, que, na opinião do jornal, tem como verdadeiro alvo a China.

"A China pode tomar como referência a reação da Rússia aos países do Leste da Europa que instalaram o sistema antimísseis dos EUA", sugere o jornal, em um artigo intitulado "A China deve se preparar para o pior na Península Coreana".

Para o Global Times, o país deverá "apoiar firmemente" sanções "mais restritas" contra a Coreia do Norte – aprovadas pelo Conselho de Segurança da ONU – e contribuir para a destruição da "capacidade de desenvolvimento nuclear" do país.

O editorial acrescenta que, em caso de guerra, a China não terá "obrigações morais" neste conflito, visto que os outros intervenientes "não seguiram os seus conselhos".

"O fracasso em resolver a crise nuclear é o resultado das intenções dos EUA de controlar o noroeste da Ásia e sua intromissão para travar a ascensão da China", acusa o jornal.

A China é o aliado mais importante da Coreia do Norte e o seu maior parceiro comercial. Até há pouco tempo, as relações entre os dois países eram descritas como "muito próximas".

Em mapas chineses impressos até cerca de 20 anos atrás, a península coreana correspondia a apenas um país, a Republica Democrática Popular da Coreia, com a capital em Pyongyang, e Seul, capital da Coreia do Sul, tinha estatuto de cidade de província.

Consciente da fonte de tensão regional e do embaraço para a diplomacia chinesa que a Coreia do Norte representa, a Chinatem enviado cada vez menos missões diplomáticas àquele país, um dos mais isolados do mundo.

Em 2014, o presidente chinês, Xi Jinping, visitou a Coreia do Sul antes de ir à Coreia do Norte.

 

Edição: Graça Adjuto