Você está aqui

Havana inicia despedida a Fidel na Praça da Revolução

  • 28/11/2016 17h21publicação
  • Havanalocalização
Da Télam

 

Mulheres choram ao prestar tributto ao líder cubano Fidel Castro na Plaza de la Revolucion Havana, Cuba, 28 November 2016

Cubanas se emocionam ao dar o último adeus ao líder Fidel Alejandro Ernesto/Agência Lusa

Desde as 9h da manhã de hoje (28) cubanos formam grandes filas para despedir-se de Fidel Castro na Plaza de la Revolución (Praça da Revolução), onde estão as cinzas do ex-mandatário, no Memorial a José Martí. O povo cubano foi convocado também a firmar ali um compromisso com as ideias do ex-presidente e de dar continuidade ao socialismo. As informações são da agência argentina Télam.

As despedidas se estenderão até esta terça-feira às 19h, quando foi convocado "um ato de massas". Durante dois dias, os restos de Fidel Castro – que em seu último pedido expressou o desejo de ser cremado – permanecerão no Memorial a José Martí  onde a população poderá dar o seu “adiós”.

Esse será também o momento escolhido para que estejam presentes as delegações internacionais, mandatários e personalidades que devem chegar a Cuba hoje e amanhã para o funeral do comandante, que, em vida, pronunciou na Plaza de la Revolución a maioria de seus célebres e longos discursos.

Entre as presenças confirmadas está a do rei da Espanha, Juan Carlos, e se dá como certa a presença dos presidentes de países aliados de Cuba, como os da Venezuela, Nicolás Maduro; Bolívia, Evo Morales; Nicarágua, Daniel Ortega; e Equador, Rafael Côrrea.

Nas últimas horas, a Rússia informou que será representada pelo presidente da Duma (Câmara de Deputados), Viacheslav Volodin, e a Grécia pelo primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

Tampouco se descarta o comparecimento de ex-mandatários como o brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, a argentina Cristina Kirchner e o uruguaio Pepe Mujica, que mantiveram uma estreita relação com Fidel, conforme assinalou a agência de notícias espanhola EFE.

Na quarta-feira, dia 30, as cinzas de Fidel começam um périplo pela ilha para que todos os cubanos deem o último adeus, numa viagem que imitará, ao contrário, o percurso da Caravana da Liberdade, na qual os rebeldes da Sierra Maestra atravessaram o país desde Santiago de Cuba quando triunfou a revolução em 1959.

Os restos do comandante chegarão a Santiago de Cuba no sábado, dia 3 de dezembro, quando terá lugar outro grande ato em homenagem a Fidel. A cerimônia de inumação (colocação das cinzas em sepultura ou jazigo), que se espera ser íntima e familiar, será no domingo, dia 4 de dezembro, no Cemitério da cidade de Santa Ifigênia, o mesmo em que repousam as cinzas do líder cubano José Martí.

Edição: Nádia Franco