Cabo Verde assume presidência rotativa da CPLP

Antes, o comando da comunidade estava com o Brasil

Publicado em 18/07/2018 - 14:40 Por Renata Giraldi - Repórter da Agência Brasil - Brasília

O presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca, assumiu o comando da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), antes sob mandato do presidente do Brasil, Michel Temer. O mandato é de dois anos e cobrirá o período de 2018 a 2020. O tema em discussão será “As Pessoas. A Cultura. Os Oceanos”.

Temer e os demais presidentes e primeiros-ministros dos países-membros da CPLP ressaltaram que o tema tem associação total com o que foi discutido durante a gestão brasileira – “A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável” – no que se refere ao uso adequado e de acordo com a preservação ambiental dos oceanos e recursos marinhos.

As metas para o próximo período da CPLP e os trabalhos concluídos estão sintetizados na Declaração de Santa Maria, com 21 páginas, assinada por Temer e pelos demais presidentes dos demais países-membros da comunuidade, na Ilha do Sol, em Cabo Verde.

Durante 12ª Conferência de chefes de Estado e de governo da CPLP, os presidentes assinaram quatro declarações: sobre pessoas e mobilidade, língua portuguesa, cultura e indústria criativa e mares e oceanos. Foram assinados também resoluções sobre o Plano de Ação de Díli e medidas relativas à sustentabilidade.

No encerramento da conferência, os presidentes e primeiros-ministros comemoraram a eleição da deputada federal brasileira Mara Gabrilli (PSDB-SP) para o Comitê sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD) na ONU (Organização das Nações Unidas), com mandato de 2019 a 2022, e do português António Vitorino para o cargo de diretor-geral da Organização Internacional das Migrações (OIM), também nas Nações Unidas.

Integração com a ONU

Em breve entrevista a jornalistas, após a reunião da CPLP, o presidente Michel Temer disse que a reunião representou uma oportunidade de troca de experiências entre chefes de governo e de Estado sobre a integração entre os países da comunidade.

“O que se verificou foi o tratamento de temas que interessam ao Brasil e aos países integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, especialmente nesse período em que nós fizemos uma integração da ONU [Organização das Nações Unidas] com a CPLP, quando colocamos a agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável”, disse Temer. 

Mandela

Ao assinar nesta quarta-feira a Declaração de Santa Maria, Temer e os presidentes e primeiros-ministros homenagearam o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, que comemoraria hoje 100 anos.

Eles ressaltaram o legado político de Mandela e sua dedicação à defesa dos direitos humanos, da igualdade e da liberdade. A homenagem está na Declaração de Santa Maria, assinada durante a 12ª Conferência de chefes de Estado e de governo da CPLP.

Comunidade

Criada em 1996, a CPLP é integrada por nove países: Brasil, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Além dos países-membros, também há países associados que não têm o português como língua principal, mas mantêm assento no fórum para discutir os projetos de desenvolvimento e cooperação. São associados: Mauricio, Senegal, Geórgia, Japão, Namíbia, Turquia, Eslováquia, Hungria, República Checa e Uruguai, e mais nove países serão aprovados para a comunidade.

Texto e título alterados às 16h10, do dia 18/07/2018, para ajuste de informação/Texto ampliado às 16h46

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias