Ministro diz que PT e movimentos sociais organizam caravanas para posse de Dilma

Publicado em 18/12/2014 - 12:11 Por Luana Lourenço - Repórter da Agência Brasil - Brasília

Brasília - O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, participa do 6 Congresso Nacional do MST (Fabio Rodrigues Pozzebom /Agência Brasil)

Gilberto  Carvalho (D), que na foto cumprimenta  o  líder do MST, João Pedro Stédile,  diz que o objetivo é celebrar a vitória eleitoral e mostrar que a presidenta Dilma tem respaldo popularFabio Rodrigues Pozzebom /Agência Brasil

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse hoje (18) que o PT e os movimentos sociais e sindicais estão organizando caravanas a Brasília para participar da posse de Dilma Rousseff em 1° de janeiro. O objetivo, segundo ele, é fazer da posse uma festa de celebração da vitória na disputa eleitoral e mostrar que a presidenta tem respaldo popular.

“A ideia é fazer da posse um apoio forte à presidenta para que ela sinta que tem apoio popular, para que ela se sinta respaldada para fazer as mudanças que precisa fazer. E, ao mesmo tempo, para que o país veja que ela tem legitimidade e apoio popular e, com isso, desencorajar eventuais aventureiros que queiram trabalhar essa ideia da deslegitimação do governo dela, da ilegitimidade do governo dela”, disse o ministro. “Vai ser uma posse com um caráter marcadamente político”, acrescentou.

Segundo Carvalho, a meta é encher a Praça dos Três Poderes, de onde o público acompanhará o discurso de Dilma no parlatório do Palácio do Planalto. Para isso, movimentos sociais e sindicais organizam caravanas com militantes de todo o país. A conta será paga pelas entidades e pelo PT, sem dinheiro do governo, de acordo com o ministro.

O partido montará um palco na praça com atrações como o cantor Chico César e o rapper GOG e cogita até organizar um Réveillon popular na Esplanada dos Ministérios para os militantes que chegarem à capital federal na noite de 31 de dezembro.

Na cerimônia de posse, Dilma sairá em carro aberto da Catedral Metropolitana de Brasília em direção ao Congresso Nacional, onde será recebida pelos presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN)  e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). No Parlamento, ela fará o juramento e discursará. Em seguida, do lado de fora do prédio, será saudada com 21 tiros de canhão e passará em revista a tropa formada em sua homenagem.

Do Congresso, ela irá para o Palácio do Planalto e, já com a faixa presidencial, fará um discurso no parlatório. Em seguida, dentro do palácio, dará posse aos ministros de sua equipe, receberá os cumprimentos de autoridades e posará para fotografias oficiais. A última etapa da cerimônia de posse será um coquetel no Palácio Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores, com autoridades e convidados internacionais, inclusive chefes de Estado e de Governo.

Edição: Marcos Chagas

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias