Você está aqui

Rossetto nega distanciamento entre PT e Dilma Rousseff

  • 27/02/2016 16h53publicação
  • Rio de Janeirolocalização
Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil
Brasília - Conselho Curador do FGTS, sob comando do ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, discute suplementação orçamentária proposta pelo Ministério das Cidades (Elza Fiuza/Agência Brasil)

Relação entre partido e governo é de total confiança e  disposição  de colaboração,  afirma  o  ministro do Trabalho  e  Previdência       Arquivo/Agência Brasil

O ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, afirmou hoje (27) que não há distanciamento entre o PT e a presidenta Dilma Rousseff. Segundo o ministro, a relação do partido com o governo federal é de “total confiança e disposição de colaboração”. Rossetto fez a afirmação durante evento de comemoração dos 36 anos do PT, no Rio de Janeiro, ao comentar a ausência de Dilma, que está no Chile.

“A presidenta Dilma é a maior filiada do nosso partido, e toda reflexão do partido é no sentido de contribuir positivamente para o sucesso do governo da presidenta Dilma Rousseff. A presidenta Dilma abre o ano de 2016 estabelecendo uma prioridade clara: voltar ao crescimento econômico, geração de trabalho e emprego no país. E o PT, como de resto os demais partidos da base do governo, trabalha ativamente para colaborar com esse objetivo prioritário da presidenta Dilma Rousseff ainda em 2016”, disse Rossetto.

De acordo com o ministro, os documentos apresentados ontem (26) pelo Diretório Nacional do PT não são contraditórios com as políticas do governo federal. “O governo está no rumo certo, na medida em que há uma prioridade estabelecida pela presidenta Dilma Rousseff para 2016, que é recuperar crescimento econômico, trabalho e emprego. Esse é o objetivo central determinado pela presidenta Dilma para todo o seu governo. E os partidos buscam colaborar, com suas propostas, para que o governo atinja esse objetivo maior para o nosso país.”

Edição: Nádia Franco