Você está aqui

Wellington César é quem decidirá se permanece à frente da Justiça, diz Edinho

  • 10/03/2016 17h59publicação
  • Brasílialocalização
Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil

O ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, disse que o ministro da Justiça, Wellington César Lima e Silva, é quem vai tomar a decisão se deixa a pasta para continuar na carreira do Ministério Público (MP) da Bahia. Segundo ele, o governo tinha uma interpretação jurídica e legal com relação à regularidade de um membro do MP poder assumir cargos no Executivo, mas a decisão do Judiciário será respeitada.

Na noite dessa quarta-feira (9), o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que Wellington deve deixar o posto em até 20 dias após a publicação da ata do julgamento, prevista para a próxima segunda-feira (14). Os ministros da Corte decidiram que Wellington não pode chefiar a pasta já que tem cargo vitalício de procurador do Ministério Público da Bahia.

“A presidenta Dilma [Rousseff] deu toda tranquilidade para que ele faça aquilo que for melhor para ele, do ponto de vista pessoal, mas ele foi o ministro identificado por ela. Foi o ministro que ela entendia que era o melhor quadro para ocupar o cargo do ministério naquele momento. Portanto, é alguém que tem o respeito da presidenta Dilma”, disse Edinho Silva, em entrevista a jornalistas no Palácio do Planalto.

Wellington César da Silva, que tomou posse no último dia 3, poderá decidir por permanecer à frente do Ministério da Justiça, caso desista da carreira no MP. Nesta quinta-feira (10), ele almoçou com a presidenta Dilma, mas o teor da conversa não foi divulgado. A decisão do STF também vale para 22 membros do Ministério Público que estão afastados das funções para exercer atividades em secretarias de governo nos estados.

Edição: Fábio Massalli