Digite sua busca e aperte enter

Brasília: Deputados recebem broches oficiais de identificação durante os preparativos para a posse dos parlamentares, que ocorrerá amanhã, 01 de fevereiro.  (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil) Marcelo Camargo/Agência Brasil

Compartilhar:

Na véspera da posse, deputados movimentam corredores do Congresso

Publicado em 31/01/2019 - 16:35

Por Ana Cristina Campos - Repórter da Agência Brasil Brasília

A um dia do início da nova legislatura, os deputados eleitos tomam conta dos corredores e gabinetes da Câmara para finalizar os preparativos para a posse amanhã (1º). Muitos passaram pela sala onde eram tiradas as fotografias para os documentos oficiais (cadastro parlamentar e passaporte) e para o perfil parlamentar no portal da Câmara, além de fazer o cadastro biométrico no sistema eletrônico de votação.

Na palestra de boas-vindas, chamada Encontro Parlamentar da 56ª Legislatura, no Auditório Nereu Ramos, a presença dominante era de deputados novatos. Funcionários da Casa e parlamentares repassaram informações sobre o funcionamento da atividade no Congresso, em especial nas áreas legislativa e administrativa. Candidatos em campanha para um dos cargos da Mesa Diretora da Câmara também foram ao local para pedir votos.

Campanha de deputados para a presidência da Câmara durante os preparativos para a posse dos parlamentares, que ocorrerá amanhã, 01 de fevereiro
Campanha de deputados para a presidência da Câmara durante os preparativos para a posse dos parlamentares, que ocorrerá amanhã, 01 de fevereiro - Marcelo Camargo/Agência Brasil

Reforma

Em seu primeiro cargo eletivo, Kim Kataguiri (DEM-SP), coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL), era um dos presentes à palestra. Ele disse que sua candidatura foi um processo natural a partir do movimento que criou. “A partir do momento em que você critica um governo, nas manifestações pelo impeachment [da ex-presidente Dilma Rousseff], se não oferece uma alternativa posteriormente, você está simplesmente criticando por criticar, sem propor nada.”

Segundo ele, sua prioridade este ano na atividade parlamentar será a aprovação da reforma da Previdência: “Prioridade número zero. Vai ser meu foco mil por cento”. Outro ponto é a diminuição do tamanho do Estado. “A ideia é enxugar o máximo possível a máquina pública, os gastos públicos, os privilégios para que a margem para a corrupção seja a mínima possível”, disse Kim, que está cursando Direito e é técnico de processamento de dados.

Seleção

Vizinhos de gabinete, os líderes do movimento Acredito de renovação política Felipe Rigoni (PSB-ES) e Tabata Amaral (PDT-SP) estavam às voltas com as últimas entrevistas do processo seletivo que abriram para contratar funcionários para suas equipes. Eles também estão em seu primeiro cargo eletivo

“Por sorte, ficamos um do lado do outro e vamos ter uma atuação em conjunto, ao lado do senador Alessandro [Vieira (Rede-SE)], do mesmo movimento. Estamos montando um gabinete compartilhado em que teremos algumas pessoas que vão trabalhar para os três parlamentares”, disse Tabata.

Formada em ciência política e astrofísica pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, Tabata, de 25 anos, conta que trabalha com educação pública há 9 anos como ativista e professora. “Depois de tanto tempo, você percebe que o problema está na política e nos políticos. É uma tentativa para mudar a educação. Será um desafio gigantesco, mas, se tem um lugar em que a gente consegue lutar por uma educação de qualidade, é aqui”.

Acessibilidade

Felipe Rigoni, de 27 anos, primeiro deficiente visual eleito deputado federal, disse que sua principal pauta será a eficiência do governo. “Tenho a pauta da acessibilidade, da ciência e tecnologia, da educação, mas, se a gente não tiver instituições capazes de fazer as coisas acontecerem, não vai adiantar muita coisa. Tem muita coisa a se fazer na estrutura do governo. Isto não significa enxugar. Significa dar capacidade de execução, com uma eficiência inclusiva”, disse Rigoni.

Cego desde os 15 anos em decorrência de uma inflamação nos olhos, fez faculdade de engenharia e pós-graduação.

Desafio

A mais jovem deputada da atual legislatura, Luisa Canziani (PTB-PR), de 22 anos, também ocupa seu primeiro cargo político. “Ao mesmo tempo que é uma grande honra é um grande desafio. Desafio no sentido de demonstrar que uma jovem com muito trabalho, empenho e entusiasmo, com equipe competente e ações inovadoras, é plenamente capaz de fazer um mandato que de fato represente as pessoas.”

Filha do deputado Alex Canziani (PTB-PR), que tentou se eleger senador, Luisa é estudante de Direito. “Desde muito cedo acompanho a política. Tenho muito orgulho da trajetória política do meu pai que tem feito da sua vida uma missão de lutar pela educação brasileira”, afirmou. “Mas eu sempre sonhei em me candidatar, trazendo a questão das mulheres e da juventude para a política. A minha bandeira chama-se educação.”

Renovação

A advogada Caroline de Toni (PSL-SC), de 32 anos, também em seu primeiro mandato, participou da palestra de boas-vindas para se inteirar sobre os primeiros atos. “É tudo muito novo. Metade da Câmara foi renovada”, disse. “Pretendo atuar na CCJ [Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania] e na Comissão de Agricultura e da Educação por compromissos com o eleitorado.”

A nova legislatura é marcada por um dos maiores índices de renovação desde a redemocratização. Na Câmara dos Deputados, a taxa chegou a 52% dos parlamentares eleitos. 

Edição: Sabrina Craide

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique

Últimas notícias