Cultura lança programa de incentivo ao audiovisual voltado para novas mídias

Publicado em 07/07/2017 - 15:07 Por Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil - Brasília

Brasília - A secretária de audiovisual do Ministério da Cultura, Mariana Ribas, lança cinco editais do Programa Nacional de Fomentos ao audiovisual (José Cruz/Agência Brasil)

A secretária de Audiovisual, Mariana Ribas, lança programa de incentivo ao audiovisualJosé Cruz/Agência Brasil

Com cinco editais que totalizam R$ 8,6 milhões, o Ministério da Cultura lançou hoje (7), em Brasília, o Programa Nacional de Fomento do Audiovisual.

De acordo com o ministério, pela primeira vez, serão contemplados projetos para canais web e aplicativos, além de festivais e mostras de audiovisual. As inscrições começam nesta sexta-feira (7), a partir da meia-noite, e poderão ser feitas até 21 de agosto. O objetivo é enriquecer e modernizar os editais já conhecidos, como os de curta metragem, com o incentivo à produção de novas mídias. “O jovem hoje se comunica pela internet. Você é produtor e distribuidor do conteúdo que prepara”, disse a secretária de Audiovisual da pasta, Mariana Ribas.

Segundo a secretária, o refinamento exigiu reflexão, para preservar um “dos grandes legados”, e não “somente repetir” os antigos entendimentos. “Temos que identificar quais as vocações do mercado, entender o que o jovem deseja.”

Peça que tem sobressaído no meio audiovisual, o canal web gratuito é contemplado em um edital específico, o juventude vlogueira. Na categoria, serão selecionadas 16 propostas de tema livre. O interessado, que deve ter entre 18 e 29 anos, poderá concorrer mesmo se já tiver outros canais, mas a proposta apresentada tem de ser original. Cada escolhido receberá R$ 50 mil e terá que abastecer o canal com, no mínimo, dois vídeos por mês, com duração de 5 a 15 minutos.

“O interessante da cultura digital é exatamente poder criar nichos, diversidade, mas cada um ter seu foco. Tem um mundo de feministas que estão indo por essa linha e se destacam. Você pode ter, em paralelo, os canais dos gamers [jogadores] que fazem vídeos sobre jogos. É falar sobre a sua área, de forma bastante específica. A gente quer ver essa diversidade de temáticas nos editais e dar essa possibilidade a quem ainda não tem sustentabilidade neste mercado“, afirmou a coordenadora de Novas Mídias na secretaria, Lina Távora, mestre em cinema.

Iniciantes na área do audiovisual poderão pleitear tutoria de profissionais do ramo. O treinamento é previsto no edital de desenvolvimento de roteiros, que dará R$ 40 mil a cada um dos 12 projetos selecionados.

Afinado com a robustez digital, o edital App pra Cultura destinará R$ 20 mil para cada um dos 40 aplicativos e jogos eletrônicos dedicados à difusão desse ramo. A regra é que metade deles crie exclusivamente conteúdo relacionado a cinema.

Participação feminina

Sucesso, segundo Lina, de políticas afirmativas para a equidade de gênero, o edital Carmen Santos busca assegurar a participação de mulheres no meio cinematográfico. Essa modalidade e a de temática e público livres subsidiarão 30 obras de curta metragem. Serão disponibilizados R$ 80 mil a cada projeto.

Pela primeira vez, o Ministério da Cultura distribuirá também recursos para mostras e festivais. O incentivo ocorre após a criação de um programa nacional relacionado à área. O edital é dividido em três modalidades, que distribuem diferentes faixas de recursos a partir do critério de experiência. Nenhum novato poderá concorrer, já que o nível mínimo é de duas edições já realizadas.

De acordo com Mariana, prioritários para o ministério, os editais foram elaborados no fim do ano passado. Ela admitiu a dificuldade de captação de recursos hoje em dia. "A gente está passando por um momento bastante complicado, os projetos têm tido bastante dificuldade para ser desenvolvidos, e os produtores têm nos procurado.”

“A gente sabe que nunca [a quantia de recursos] é suficiente, e não conseguimos atender todas as demandas”, ressaltou.

Todos os editais do programa já podem ser consultados no site do ministério.

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
A presidente do Conselho do Programa Pátria Voluntária, Michelle Bolsonaro, durante o Lançamento do projeto Arrecadação Solidária contra o coronavírus
Política

Primeira-dama Michelle lamenta falecimento da avó por covid-19

Maria Aparecida foi internada no dia 1º de julho no Hospital Regional de Ceilândia e chegou a ser encaminhada para a Unidade de Tratamento Intensivo. Ela faleceu na madrugada de ontem.

Sede da Polícia Federal em Brasília
Geral

PF cumpre 36 mandados de prisão em oito estados e no DF

Valor das contratações suspeitas de irregularidades em Roraima chega a R$ 50 milhões. Dinheiro foi utilizado na aquisição de insumos médico-hospitalares básicos para combate à covid-19.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, participa do programa Voz do Brasil.
Política

Governo regulamenta serviços de retransmissão de rádio

“Iniciativa do governo federal e do Ministério das Comunicações para levar emprego aos estados do Mato Grosso, TO, AM, PA, AP, AC, RO e MA”, diz ministro.

Aplicativo Caixa Tem
Economia

Caixa libera saque de auxílio emergencial para 4 milhões de pessoas

O crédito na poupança social para os beneficiários nascidos em maio foi feito no dia 5 deste mês.

vacina, Moderna, imagem ilustrativa
Internacional

Argentina e México vão produzir vacina da Oxford

Entrega é prevista a partir da primeira metade de 2021, em função dos resultados dos estudos da Fase 3 de testes e das aprovações regulatórias. Brasil também firmou acordo com a AstraZeneca.

Polícia Civil do Rio de Janeiro.
Direitos Humanos

Rio: operação prende suspeitos de violência contra a mulher

De acordo com a delegada Sandra Ornellas, somente em 2019 as delegacias de atendimento à mulher no Rio indiciaram 16.703 suspeitos de violência doméstica e familiar.