Momento político permeia produções do Festival de Brasília, diz curador

Publicado em 15/09/2017 - 17:13 Por Leandro Melito – Repórter do Portal EBC - Brasília

Brasília - Crianças de escolas do DF assistem a filmes durante o Festivalzinho, atividade do 49 Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Festival de Brasília do Cinema Brasileiro chega à sua 50ª ediçãoMarcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil


Seguindo a tradição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o momento político do Brasil será refletido nas telas da capital na 50ª edição do evento que tem início hoje (15) na capital federal. A abertura do evento será às 19h.  “Essa é uma das veias mais importantes do festival. Muitos dos filmes inscritos trazem essa marca, então não tem como a seleção não responder a isso que os cineastas estão apresentando para a gente”, disse em entrevista à Agência Brasil  Eduardo Valente, diretor artístico do evento.

Neste ano o festival teve um recorde de trabalhos inscritos. Foram 778 filmes, 25% a mais do que em 2016. Na mostra competitiva nove longas e 13 curtas-metragens concorrem ao Troféu Candango. “É uma seleção muito ampla, toda ela baseada na alma do festival, que é a reflexão sobre a nossa atualidade, os temas e questões que estão ocupando a cabeça de todo um grupo de pessoas interessadas em audiovisual no Brasil”, diz Valente.

A participação do público durante a mostra competitiva, outra característica marcante do Festival de Brasília, também permeou a escolha dos filmes que serão apresentados. “Quando a gente está pensando nos filmes, a gente está sempre pensando de que maneira eles podem repercutir nesse festival especificamente. A marca do festival tende a ser essa reação quente e calorosa do público”, diz Valente.

Os filmes em competição serão exibidos no Cine Brasília, localizado no Plano Piloto da capital federal e em Taguatinga, Sobradinho, Gama e Riacho Fundo I, nas regiões administrativas do Distrito Federal.

Ao todo serão exibidas produções de 13 estados durante o Festival.  “Hoje o cinema brasileiro pode ser visto como uma representação nacional. A gente tem a produção realmente espalhada pelo país em quantidade e qualidade”, diz o organizador.

Abertura

Na abertura do festival, que ocorre nesta sexta-feira (15), serão exibidos o longa-metragem Não Devora meu Coração (2017) de Felipe Bragança, que tem no elenco o ator Cauã Reymond e foi exibido em festivais internacionais como Sundance Film Festival, que ocorre em Park City, nos EUA, e Berlinale - Festival Internacional de Cinema de Berlim. Também será exibido o curta Festejo Muito Pessoal (2016) de Carlos Adriano, produzido por ocasião do centenário de Paulo Emílio Salles Gomes (1916-1977) e é baseado em um artigo escrito por ele e publicado postumamente.

Com 40 anos de sua morte completados no último sábado, Paulo Emílio foi um dos criadores do Festival de Brasília, que teve sua origem em 1965 com o nome de Semana do Cinema Brasileiro.

A medalha Paulo Emílio Salles Gomes criada na edição anterior do festival e concedida ao crítico de cinema Jean-Claude Bernardet será entregue este ano em homenagem ao diretor Nelson Pereira dos Santos que completa 90 anos no dia 22 de outubro.

“É uma junção perfeita porque talvez seja o nosso cineasta mais longevo no sentido do tempo que ele atravessa da história do cinema brasileiro e a mesma coisa o festival”, diz Eduardo Valente.

Impossibiltiado de comparecer ao evento, o diretor de filmes como Rio 40 Graus (1955), Rio Zona Norte (1957), Vidas Secas (1963) e Como Era Gostoso Meu Francês (1973) será representado no evento por Diogo (filho) e Mila Dahl (neta).

A abertura da edição de número 50 do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro terá a apresentação dos atores Juliano Cazarré e Dira Paes e participação de Matheus Nachtergaele.

Edição: Fábio Massalli

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Comércio da cidade do Rio de Janeiro funciona com restrições
Saúde

Estado do Rio tem 168.064 casos de covid-19 desde início da pandemia

Desde ontem foram registrados 32 óbitos e 839 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. O estado soma agora 13.604 mortes pela doença e 144.850 pacientes recuperados. 

Hospital de campanha do Maracanã no Rio de Janeiro
Justiça

Justiça do Rio impede fechamento de hospitais de campanha

Segundo secretaria, hospitais de São Gonçalo e do Maracanã estão abertos, mas sem pacientes por causa de vagas em unidades regulares da rede estadual.

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, fala à imprensa , após reunião com o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada
Justiça

Defesa de Onyx assina acordo de não persecução penal com a PGR

Apesar do acordo fechado com a PGR, é necessário que o caso seja analisado pelo Supremo Tribunal Federal. Ministro-relator vai decidir se homologa acordo.

Hospital de campanha para vítima de Covid-19 em Santo André, São Paulo
Saúde

Covid-19: Brasil registra mais 561 mortes; total chega a 94.665

Doença atingiu 2,75 milhões de brasileiros; 69,5% já se recuperaram. Atualmente, 743.334 pacientes estão em acompanhamento.

Painel Resolveu
Geral

EBC fica em primeiro no ranking de elogios entre instituições federais

De 1º de janeiro a 31 de julho, a administração federal recebeu 4.656 elogios de usuários de 333 instituições; EBC recebeu 417 elogios, e Ministério da Economia, 375.

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES
Economia

BNDES seleciona fundos de crédito não bancário para pequenas empresas

Com isso, BNDES busca mitigar impactos da pandemia de covid-19 na economia e, por meio de canais não bancários, ampliar crédito para pequenos empreendedores.