Mantega prevê 2015 com mais chuva e menos pressão sobre preços agrícolas

Publicado em 28/08/2014 - 14:09 Por Daniel Lima e Kelly Oliveira – Repórteres da Agência Brasil - Brasília

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, prevê “muita chuva” para 2015, o que, segundo ele, reduzirá a pressão sobre os preços dos produtos agrícolas e as tarifas de energia. O cenário vislumbrado pelo ministro seria diferente do deste ano, quando a seca foi um dos fatores que levaram ao aumento da chamada inflação dos alimentos e das tarifas de energia elétrica.

“Provavelmente, vai chover muito em 2015 e vocês reclamarão da chuva, e não da seca. O crescimento internacional vai ter uma melhoria, não só eu estou prevendo isso. [Sem a Copa do Mundo] teremos mais dias úteis e com menos pressão inflacionária”, disse Mantega.

O ministro destacou também que, há quatro meses seguidos, os preços vem caindo no atacado e que isso poderá refletir no varejo. Para Mantega, o governo não está acertando na mosca porque não há como fazer projeções totalmente corretas para o ano que vem.

“Não estamos acertando na mosca porque ninguém consegue ver isso com antecipação. O cenário será revisto, mas não vamos nos precipitar, vamos aguardar o fim do ano. O fato é que estamos tendo uma deflação em nível internacional e temos chance de fazer uma inflação menor do que a dos níveis atuais. Temos que apostar um cenário mais otimista, pois ele pode ser alcançado”, disse Mantega.

Sobre a possibilidade de alcançar a meta de superávit primário de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país) este ano, o ministro admitiu que é difícil. “Temos feito cortes e temos receitas extradicionárias, por exemplo”, explicou.

A proposta orçamentária para o ano que vem prevê superávit primário de 2,5% do PIB. Com abatimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o superávit primário pode ficar em 2% do PIB. “Está prevista a possibilidade de abatimento do PAC, mas não é obrigatório. É facultativo”, ressaltou Mantega. Ele destacou que o governo se esforçará para produzir superávit primário, “dando espaço para um política monetária mais flexível do Banco Central”.

De acordo com o ministro, no próximo ano, não haverá mais desonerações. “Na medida que a crise vai passando, vão se criando as condições para um [superávit] primário maior”, acrescentou.

Os ministros Miriam Belchior, do Planejamento, e Guido Mantega, da Fazenda, falam sobre o Projeto de Lei Orçamentária de 2015 (Antonio Cruz/Agência Brasil)

Ministros Miriam Belchior, do Planejamento, e Guido Mantega,  da  Fazenda Antonio  Cruz/Agência  Brasil

Sobre os investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, destacou o início de um novo ciclo no próximo ano, o que reduz o ritmo dos recursos aplicados. “Tem uma série de investimentos que vão estar em etapas intermediárias. É natural que, nesse novo ciclo, uma parte das ações esteja em estágio preparatório ou início de obra”, disse a ministra.

A previsão orçamentária para investimentos no PAC e no Programa Minha Casa, Minha Vida é R$ 65 bilhões, com crescimento 2,7%, em 2015, em relação ao Projeto de Lei Orçamentária de 2014.

“Além disso, estamos aumentando os investimentos de concessões e parcerias público-privados", enfatizou Mantega. Ele disse esperar o investimento privado cresça mais que o público. "O investimento é prioridade deste governo, só que em parceria com o setor privado”, explicou Mantega.

O orçamento total proposto para o próximo ano é R$ 2,86 trilhões – 89,7% para despesas obrigatórias e 10,3%, discricionárias.

Edição: Nádia Franco

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
psg neymar
Esportes

PSG vence Atalanta no fim e vai à semifinal da Liga dos Campeões

Brasileiro Neymar tem atuação decisiva, participando diretamente dos dois gols da equipe da capital francesa.

Geral

PF fecha dois bingos clandestinos no centro do Rio de Janeiro

Em um dos endereços, localizado na zona portuária, foram apreendidas 30 máquinas caça níqueis. Em outro local, na Cinelândia, foram apreendidas outras 24 máquinas.

O presidente Jair Bolsonaro faz  declaração à imprensa na área externa do Palácio da Alvorada
Política

Bolsonaro, Maia e Alcolumbre defendem teto de gastos em pronunciamento

"Resolvemos, então, com essa reunião, direcionar mais ainda nossas forças para o bem comum daquilo que todos nós defendemos", disse o presidente Jair Bolsonaro.

Governo do DF suspende aulas para evitar ampliação de casos do novo corona vírus.
Justiça

Justiça mantém suspensão de aulas presenciais na rede privada do DF

Com a decisão, o retorno continua proibido até o julgamento de uma ação civil pública que está em tramitação na 6ª Vara do Trabalho de Brasília. As aulas estão suspensas desde 11 de março.

Sessão temática no Senado sobre a Petrobras
Justiça

José Serra: Lava Jato pede que Justiça retome tramitação de ação

A ação foi suspensa, no final de julho, pela 6ª Vara Criminal Federal após uma liminar do STF ter determinado a paralisação das investigações contra o senador e sua filha. 

Fase 5 da flexibilização no Rio de Janeiro libera vendedores ambulantes nas praias
Saúde

Crivella diz que fará consulta à população sobre agendamento em praias

O objetivo do agendamento é evitar aglomerações nas areias, começando pela Praia de Copacabana. Prefeitura quer saber avaliação da população sobre iniciativa.