Sebrae-SP: receita das micro e pequenas empresas tem maior queda desde 1998

Faturamento do setor no estado teve queda de 14,8% em janeiro em

Publicado em 11/03/2015 - 17:07 Por Camila Boehm – Repórter São Paulo - São Paulo

O faturamento das micro e pequenas empresas paulistas teve queda de 14,8% em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado. Foi o maior percentual de perda de receita para um mês de janeiro na comparação com o mesmo mês do ano anterior, desde 1998, quando a pesquisa começou.

A informação foi dada pelo Sebrae-SP, segundo o qual em janeiro deste ano a receita das micro e pequenas empresas ficou em R$ 43,6 bilhões, R$ 7,6 bilhões a menos do que no primeiro mês de 2014. O valor é R$ 11,5 bilhões menor do que o registrado em dezembro do ano passado.

“O desempenho ruim da economia do Brasil teve impacto direto nas receitas dos micro e pequenos negócios”, afirmou, em nota, o presidente do Sebrae-SP, Paulo Skaf. “Há um conjunto de fatores, como retração na demanda, baixa confiança e inflação alta, prejudicando o desempenho das empresas. Além disso, as empresas sofrem com os efeitos das medidas adotadas pelo governo para reorganizar a economia brasileira”, acrescentou Skaf.

A pesquisa revelou ainda o pessimismo dos empresários do setor para os próximos seis meses. De acordo com o Sebrae-SP, 43% deles disseram esperar piora no nível de atividade econômica para os próximos seis meses. É o maior percentual da série histórica, que começou em maio de 2005. Em fevereiro de 2014, eram 14%.

Sobre o faturamento das empresas, 58% dos entrevistados acreditam em estabilidade, enquanto, no ano anterior, esse grupo era formado por 54%. Aqueles que esperam piora também são mais numerosos, com 11% dos empreendedores, contra 4% em fevereiro de 2014.

“Os problemas na economia brasileira derrubaram as expectativas dos proprietários de micro e pequenas empresas. Viemos de um 2014 complicado e 2015 não se desenha melhor – o recorde de pessimismo é um retrato desse cenário”, disse, em nota, o diretor superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano. “Os ajustes promovidos pelo governo para reduzir as turbulências econômicas devem limitar, no curto prazo, o crescimento do país e o desempenho das micro e pequenas empresas.”

Em janeiro, o faturamento do comércio caiu 23% em relação ao mesmo mês de 2014. Na mesma comparação, o setor de serviços teve queda de 9,7%. Houve aumento somente na indústria, cuja receita cresceu 3,6%.

A pesquisa traz dados por regiões. O município de São Paulo teve recuo de 23% no faturamento em janeiro de 2015, sobre janeiro de 2014. A região metropolitana recuou 18,4% no mesmo período e as empresas do interior tiveram queda de 11,1% na receita. No Grande ABC, houve recuo de 10,6%.

No primeiro mês deste ano, o pessoal ocupado (sócios-proprietários, familiares, empregados e terceirizados) nas micro e pequenas empresas paulistas foi reduzido em 2,5% em comparação a janeiro do ano passado. No mesmo período, o rendimento real dos empregados do setor diminuiu 5,6%, já descontada a inflação. Segundo o Sebrae-SP, a folha de salários paga pelas empresas do setor caiu 6,6%.

Edição: Jorge Wamburg

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Washington Nunes, handebol, seleção
Esportes

Handebol: Confederação recontrata técnico demitido há um ano

Washington Nunes saiu da seleção masculina após terceiro lugar nos Jogos Pan-americanos de Lima, em 2019.

Justiça

Presidente do TST defende licença parental

Isso retira responsabilidade exclusiva da mãe pelo afastamento devido à maternidade e distribui dever do cuidado como uma forma de estímulo ao pai, diz Cristina Peduzzi.

exame coronavirus COVID-19
Saúde

Rio de Janeiro registra mais 140 óbitos por covid-19 em 24 horas

De acordo com a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro o estado registrou 172.679 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Entre eles, 153.966 pacientes se recuperaram.

Dólares - Moeda estrangeira
Economia

Dólar fecha em leve alta em dia de reunião do Copom

Cotação oscilou ao longo do dia, mas fechou próxima da estabilidade no aguardo da decisão do Banco Central. Bolsa subiu 1,57% com divulgação de resultados de empresas.

tainara
Esportes

Osasco anuncia Tainara, e Sesi Bauru confirma volta de Vanessa

Times apresentam as maiores movimentações antes da próxima temporada da superliga feminina de vôlei.

Um trabalhador fica perto de um tanque da empresa estatal de petróleo da Petrobras em Brasília
Economia

Campo de Búzios registra recorde de produção em julho

Esse é o maior campo de petróleo em águas profundas do mundo, segundo a Petrobras. Produção do mês passado foi de 615 mil barris de óleo por dia (bpd).