Economia brasileira está há cinco trimestres sem crescer, diz IBGE

Publicado em 28/08/2015 - 11:09 Por Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

O resultado do Produto Interno Bruto do segundo trimestre de 2015, divulgado hoje (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que a economia brasileira está há cinco trimestres consecutivos sem crescer.

De abril a junho de 2015, a soma das riquezas produzidas pelo Brasil caiu 1,9% em relação a janeiro, fevereiro e março, a maior queda desde o primeiro trimestre de 2009. Nos três primeiros meses deste ano, a economia caiu 0,7% em relação aos últimos meses de 2014.

O segundo semestre do ano passado foi marcado por taxas estáveis. No quarto trimestre, não houve variação do PIB e, no terceiro, a economia variou positivamente 0,1%, o que não é considerado crescimento pelo IBGE.

Já no segundo trimestre de 2014, houve uma queda de 1,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior, o último de crescimento da economia brasileira, que subiu 0,7%.

A coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca de La Rocque Palis, disse que todas as atividades econômicas foram afetadas. "O PIB é a medida síntese da economia. Existe uma deterioração de praticamente todos os indicadores econômicos", destacou. "Existe uma turbulência política e indicadores econômicos fracos que estão tendo impacto importante sobre praticamente todas as atividades econômicas", acrescentou.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, o PIB caiu 2,6%, quinta retração seguida nos números trimestrais e também a mais intensa desde o primeiro trimestre de 2009.

Investimentos

O indicador que mede investimentos feitos pela economia brasileira também registrou queda, pelo oitavo trimestre seguido, no segundo trimestre de 2015. A Formação Bruta de Capital Fixo caiu 8,1% na comparação com o primeiro trimestre de 2015 e 11,9% em relação ao segundo trimestre de 2014. A retração registrada em relação a 2014 foi a maior da série histórica do IBGE, que começou no primeiro trimestre de 1996.

O resultado fez com que a taxa de investimentos caísse para 17,8% do PIB, contra 19,5% no ano anterior e 20,7% em 2013. A coordenadora de contas nacionais do IBGE, Rebeca de La Rocque Palis, explicou que a queda nos investimentos é influenciada por baixos índices de confiança, juros mais altos e crédito menos abundante. "Vários bens que são considerados investimentos são bens de um preço unitário elevado e que dependem de um financiamento", disse.

Edição: José Romildo e Denise Griesinger - Editores da Agência Brasil

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Palácio do Planalto
Política

Bolsonaro sanciona lei de negociação de dívidas das micro empresas

O Projeto de Lei Complementar 9/2020 autoriza a extinção de créditos tributários devidos pelas micro e pequenas empresas integrantes do Simples Nacional.

Testes para detecção do Covid-19
Saúde

Número de mortes por covid-19 cai 7% em uma semana

Segundo o Ministério da Saúde, houve redução de óbitos em 15 estados, entre eles Roraima, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Maranhão, Piauí, Ceará, Paraíba e Pernambuco.

Apostadores fazem fila em casa lotérica. A Caixa Econômica Federal sorteia hoje (08) as seis dezenas do concurso 2.149 da Mega-Sena acumulada, que deve pagar um prêmio de R$ 170 milhões.
Geral

Mega-Sena acumula; prêmio vai a R$ 6,5 milhões

A quina teve 28 acertadores e cada um vai receber R$  56.321,66. As 1.649 apostas ganhadoras da quadra terão o prêmio individual de R$ 1.366,20.

Geral

Itapevi: laudo descarta culpa de local que fez marmitas envenenadas

Polícia ainda investiga a morte por envenenamento de dois homens em situação de rua que consumiram a refeição recebidas por doação quando estavam em um posto de combustíveis.

Fumaça sobe após uma explosão na região portuária  de Beirute
Internacional

“O prédio tremeu, o chão subiu”, diz brasileira no Líbano

Ela mora em um bairro a 15 minutos da região portuária onde ocorreu a explosão e conta que foi “como uma onda de energia e calor inundasse tudo aqui”.

Sessão Deliberativa Remota destinada a deliberar sobre o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 88/2020, que reconhece o estado de calamidade pública no Brasil.
Política

Senado aprova uso do salário-educação para pagamento de pessoal

O Senado Federal aprovou hoje, por votação remota, uma medida que permite uso de recursos especiais para pagamento de folha em caráter excepcional durante a pandemia.