BNDES aumentou provisão para risco de crédito para R$ 9,1 bi

Publicado em 10/03/2017 - 20:52 Por Cristina Índio do Brasil - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

A provisão para risco de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em 2016, atingiu R$ 9,1 bilhões, enquanto no ano anterior ficou em R$ 1,4 bilhão. Além do mínimo determinado pela Resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) para a exigência de provisionamento, o banco reconheceu de forma complementar mais R$ 1,3 bilhão. O resultado foi apresentado hoje (10) pela instituição.

De acordo com a instituição, o aumento do volume de provisões em 2016 baseada na avaliação dos ratings (notas de risco) atribuídos aos devedores, reflete o alinhamento da carteira de crédito e dos repasses do Sistema BNDES à conjuntura econômica do ano passado, que foi marcada pela piora do risco setorial.

O diretor da Área de Controladoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Ricardo Baldin, informou que a instituição preferiu adotar procedimentos conservadores. “De uma maneira geral fez com que a gente tivesse procedimentos conservadores até para proteger o patrimônio do banco e aumentamos a provisão. Inclusive fizemos uma provisão adicional para dar margem a eventuais surpresas que a gente possa ter. Coisa que o banco não vinha fazendo. Não era praxe do banco fazer provisões adicionais. Nesse ano [2016], a partir de setembro a gente já tomou este procedimento de ser mais conservador que a norma do Banco Central”, disse.

Para o diretor, o BNDES tem que seguir rigidamente algumas normas e reavaliar os créditos periodicamente, porque o cenário macroeconômico não é dos melhores. Baldin afirmou que os ratings das empresas devedoras variam muito e, mesmo que sejam adimplentes as suas demonstrações financeiras, podem mostrar que elas estão com mais fragilidade do que em períodos anteriores.

“Isso tudo tem impacto na provisão. Na medida em que tenho uma reavaliação de ratings periodicamente e aí tenho que ser bastante conservador, isso acontece, e, na verdade, tem uma provisão adicional. Isso não necessariamente está diretamente relacionado à inadimplência. Está relacionado, sim, à reavaliação de ratings que a gente faz periodicamente até por norma regulamentar”, completou.

O diretor informou ainda que a elevação não pode ser atribuída a um caso específico de alguma empresa que recebeu financiamento. “No conjunto das empresas que são devedoras do BNDES, de acordo com o Banco Central, precisamos fazer uma reavaliação de rating e, dentro dessa avaliação, no conjunto dos financiamentos, houve uma baixa de certa forma enraizada, até por conta do cenário macroeconômico. Não estamos nos referindo a este ou aquele caso”, contou.

Com o aumento da provisão para risco de crédito, o BNDES também reconheceu, no balanço de 2016, os créditos tributários referentes a essas despesas. De acordo com a instituição, a medida gerou impacto positivo de R$ 4,8 bilhões no resultado do ano passado. O crédito tributário, segundo o diretor, é o que a instituição paga de imposto de renda sobre a despesa que não é dedutível temporariamente, como a provisão para devedores duvidosos. O valor só é compensado no futuro, quando o crédito passar a ser dedutível.

Mesmo com o cenário de deterioração do crédito no Brasil em 2016, o BNDES manteve a qualidade de sua carteira. Do total das operações 96,4% eram classificadas entre os níveis de AA e C, considerados de baixo risco.

Inadimplência

No dia 31 de dezembro do ano passado, o índice de inadimplência para 30 dias alcançou 2,81%, enquanto na mesma dada em 2015 era de 0,06%, refletindo, segundo o banco, a retração da economia brasileira e a piora dos ratings atribuídos a alguns beneficiários.

Edição: Amanda Cieglinski

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Teste rápido de COVID-19
Saúde

Estado do Rio registra quase 179 mil casos de covid-19

A capital lidera o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (74.421 casos). Em seguida vem Niterói (9.380) e São Gonçalo (9.298), ambas na Região Metropolitana.  

 


 

VITÓRIA ATLÉTICO MINEIRO E EMPATE DO SANTOS
Esportes

Flamengo perde para o Atlético mineiro no Maracanã

 

Na segunda rodada, o Atlético recebe o Corinthians em jogo previsto para  quinta-feira (13). Já o Flamengo enfrenta um dia antes (12), o Atlético Goianiense.

 

Manifestantes carregam bandeiras nacionais durante um protesto contra o governo no centro de Beirute, Líbano, em 20 de outubro de 2019
Internacional

Polícia entra em confronto com manifestantes em Beirute

Milhares de pessoas foram para a Praça do Parlamento e para a Praça dos Mártires Os manifestantes tentaram entrar em uma área isolada e invadiram os escritórios de ministérios.

Teste rápido de COVID-19
Saúde

Brasil registra 3 milhões de casos de covid-19 e 101 mil mortes

Dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde no início da noite deste domingo (9). Nas últimas 24 horas, o país registrou 23.010 novos casos e 572 mortes. 

Esportes

STJD aceita pedido do Goiás e partida contra o São Paulo é adiada

Cancelamento ocorreu 10 minutos antes do jogo começar. É que 10 jogadores testaram positivo para o novo coronavírus, sendo 8 titulares. Partida ainda não tem nova data.

 

O filme Yover, produzido por Edison Sanchez e Miguel Zanguña Billalva, será exibido na Mostra Ecofalante
Geral

Mostra traz filmes de 24 países sobre questões ambientais e sociais

O 9 º Festival Ecofalante vai de 12 de agosto a 20 de setembro. Terá sessões online por causa da pandemia. Os filmes ficam disponíveis por períodos que variam de 24 horas a dez dias.