No Rio, 6,4 milhões de eleitores vão às urnas em cinco municípios

Ao todo, serão mais de 2 mil locais de votação e 15,9 mil sessões

Publicado em 29/11/2020 - 06:35 Por Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

Mais de 6,4 milhões de eleitores deverão votar hoje (29) no segundo turno das eleições em cinco municípios do estado do Rio de Janeiro: Campos dos Goytacazes, Petrópolis, Rio de Janeiro, São Gonçalo e São João de Meriti. Ao todo, serão mais de 2 mil locais de votação e 15,9 mil sessões. Mais de 63,6 mil mesários atuarão neste domingo. Os dados são do Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-RJ). 

De acordo com o TRE-RJ, serão utilizadas 15,9 mil urnas eletrônicas. Outras 1,9 mil estarão à disposição caso seja necessário fazer alguma substituição.  

A maior parte dos eleitores está na capital, 4,8 milhões, onde disputam o segundo turno o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) e o atual prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos). No Rio, há 1,4 mil locais de votação e estarão à disposição 12,9 mil urnas eletrônicas, sendo cerca de 1,5 mil de contingência. 

Em São Gonçalo, há 663,8 mil eleitores. No município, disputam o segundo turno Dimas Gadelha (PT) e Capitão Nelson (Avante). São 154 locais de votação e 1,9 mil urnas disponíveis. São João de Meriti tem 376,9 mil eleitores que votam em 119 locais, com 1,1 mil urnas eletrônicas disponíveis. Disputam o segundo turno Dr. João (DEM) e Leo Vieira (PSC). 

Em Campos dos Goytacazes votam 360,6 mil eleitores em 200 seções. Ao todo, cerca de mil urnas estarão à disposição. Disputam o segundo turno no município Wladimir Garotinho (PSD) e Caio Vianna (PDT). Em Petrópolis, onde disputam a eleição Rubens Bomtempo (PSB) e Bernardo Rossi (PL), votam neste domingo 240,1 mil eleitores em 126 locais. Estarão disponíveis 707 urnas eletrônicas. 

O segundo turno, de acordo com a legislação, ocorre apenas nas cidades com mais de 200 mil eleitores, quando nenhum dos candidatos alcança a maioria absoluta dos votos, ou seja, metade mais um dos votos válidos. 

Segurança

De acordo com a Secretaria de Estado de Polícia Militar do Rio de Janeiro, haverá policiamento nos mais de 2 mil pontos de votação no estado, em vias urbanas e rodovias. A Polícia Militar atuará também na escolta das urnas eletrônicas e na segurança dos polos eleitorais, onde são guardadas as urnas para a contabilização dos votos.

As aeronaves remotamente pilotadas, ou drones, usadas no primeiro turno, voltarão a ser empregadas para auxiliar o patrulhamento nas vias públicas e locais de votação na região metropolitana. Os drones vão transmitir imagens em tempo real para os centros de operações instalados no Quartel General, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no Grupamento Aeromóvel (GAM) e para aparelhos celulares de comandantes de unidades estratégicas.

O Centro Integrado de Operações Coordenadas, formado por equipes de 11 órgãos estaduais, municipais e federais, é responsável por monitorar a operação. Trabalham de forma conjunta a Polícia Militar, Polícia Civil, Secretaria de Administração Penitenciária, o Corpo de Bombeiros, a Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Marinha, o Exército, Guarda Municipal, o TRE e Ministério Público. 

Orientações do TRE 

Por causa da pandemia do novo coronavírus, para garantir maior segurança a todos os envolvidos na eleição, o uso da máscara será obrigatório nos locais de votação, o eleitor será orientado a manter uma distância mínima de um metro de outras pessoas e evitar qualquer contato físico. Além disso, de acordo com o TRE-RJ, não será permitido se alimentar, beber ou fazer qualquer atividade que exija a retirada da máscara. Não será utilizada a identificação biométrica.

Hoje são proibidos a aglomeração de pessoas e veículos com material de propaganda, o uso de alto-falantes, a realização de comícios, carreatas, transporte de eleitores e boca de urna, e qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de candidatos em publicações, como panfletos e cartazes. Só é permitida a manifestação individual e silenciosa do eleitor por meio de adesivos, bandeiras, broches e dísticos.

Para votar, o eleitor deve portar um documento oficial com foto original e dentro da validade, como carteira de identidade ou identidade funcional reconhecida por lei, certificado de reservista ou carteira de trabalho. A carteira nacional de habilitação também é aceita, inclusive se já estiver fora da validade. 

É possível também usar o aplicativo e-Título. Caso o eleitor já tenha feito o cadastramento biométrico na Justiça Eleitoral, a apresentação da versão online, com a foto do eleitor, torna desnecessário qualquer outro documento. Se ainda não tiver feito a biometria ou a foto não conste no aplicativo, mesmo que tenha a versão online, ele deverá levar um documento oficial com foto.

Os eleitores que não comparecerem neste segundo turno aos locais de votação deverão justificar o voto. 

Edição: Graça Adjuto

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias