Mãe poderá concluir curso de medicina perto da família, decide Justiça

Decisão é do Tribunal Regional Federal da 1ª Região

Published in 08/05/2021 - 17:08 By Beatriz Albuquerque - repórter da Rádio Nacional - Brasília

Ser médica, casar e ter filhos. Esses eram os sonhos da Ana Luísa Guedes. Em 2018, tudo parecia estar indo exatamente como planejou: a brasiliense passou no vestibular e estava cursando medicina numa universidade federal em Niterói. Para isso, teve que deixar casa, família e amigos em Brasília e se mudar para a cidade carioca. Um ano depois, a surpresa: Ana Luisa estava grávida, com apenas 20 anos, no meio da faculdade e longe de toda sua rede de apoio. Ela decidiu concluir mais 2 semestres, voltar para Brasília e ter o bebê perto da família. A estudante conta que não conseguiria se manter lá por questões financeiras e familiares.

De volta a Brasília, ela tentou a transferência para uma universidade de Goiânia, mas os pedidos foram indeferidos. Foi aí que ela precisou acionar a Justiça para tentar continuar o curso de medicina numa faculdade perto da família. Ana Luisa disse que ficou surpresa e muito feliz com a decisão da justiça de autorizar a transferência para Goiânia e garante que isso mudou, para melhor, a sua trajetória como mãe e estudante, sem precisar abrir mão de nenhum dos seus sonhos.

Eduardo Sánchez foi o advogado que representou a Ana Luisa nesse processo. Ele conta que explicou para a família da estudante que não havia uma lei específica para o caso, mas que o pedido de transferência se basearia nos princípios da proteção ao direito à educação, à proteção à maternidade e à família. E deu certo. O Tribunal Regional Federal da 1ª Região garantiu a Ana Luisa a transferência para o curso de medicina na Universidade Federal de Goiás.

O advogado garante que essa decisão representa a garantia do direito das estudantes que se tornam mães durante a faculdade em continuarem a seguir com seus projetos profissionais, sem abrir mão do suporte familiar necessário para isso. 

E toda essa história que a Ana Luisa viveu inspirou a estudante a criar uma página na internet para encorajar outras mães a não desistirem dos seus sonhos. Para conhecer um pouco mais dessa trajetória, basta acessar o perfil @medbymom, no Instagram.


 


 

Edition: Leila Santos/Adrielen Alves

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Education

EAD em faculdades particulares deverá crescer mesmo depois da Pandemia

Na década que vai de 2010 a 2019, o número de matrículas no ensino superior particular no Centro-Oeste aumentou 13% nas carreiras ligadas ao agronegócio e 8% nos cursos de saúde e engenharia.

Baixar arquivo
Economy

Aprovada MP que amplia prazo de remarcação de serviços de turismo

Senadores aprovaram nessa quarta feira  a Medida Provisória  que amplia o prazo para remarcação e reembolso de serviços nos setores de turismo e cultura não realizados em 2020 e 2021 em virtude da pandemia da covid-19.

Baixar arquivo
Human Rights

Fórum Empresas com Refugiados é lançado para ajudar essa população

O Fórum Empresas com Refugiados, lançado nessa quarta-feira, pela Acnur - a Agência da ONU para Refugiados- e pela Rede Brasil do Pacto Global, foi criado para ajudar refugiados a ingressar no mercado de trabalho brasileiro.

Baixar arquivo
Segurança

Homícidios dolosos no Rio caem 9% em 2021

Os homicídios dolosos no estado do Rio de Janeiro caíram 9% nos cinco primeiros meses deste ano, na comparação com igual período de 2020. Foram 1.495 mortes, o menor valor para o período desde 1991, quando teve início a série histórica do Instituto de Segurança Pública.

Baixar arquivo
Health

Vacina contra covid:trabalhador de transporte coletivo terá prioridade

Trabalhadores do transporte coletivo foram incluídos no grupo prioritário para receber a vacina contra o novo coronavírus.

Baixar arquivo
Economy

Exigência de vacina para emprego é discriminação, diz MPT

Um anúncio publicado em um site de ofertas de emprego gerou questionamentos após a vaga exigir como requisito para contratação que o candidato fosse imunizado contra a Covid 19 com a vacina da farmacêutica Pfizer. 

Baixar arquivo