Dia Mundial das Doenças Raras marca importância do diagnóstico

Elas atingem atualmente até 65 a cada 100 mil pessoas

Publicado en 28/02/2021 - 15:59 Por Luisa Câmara - Brasília

No dia em que se celebra o Dia Mundial das Doenças Raras, nós temos uma missão, identificar a complexidade dessa luta junto à entidades, órgãos governamentais e pacientes.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, são consideradas como raras as doenças que atingem no máximo até 65 pessoas a cada 100 mil pessoas. Estima-se que existem entre seis mil e oito mil tipos de doenças raras, sendo que 30% dos pacientes morrem antes dos cinco anos de idade.

A busca pelos remédios e tratamento corretos são algumas das dificuldades enfrentadas por esses pacientes. Essa difícil descoberta afeta também familiares. Foi o que aconteceu com Lauda Santos. A dor pela perda de uma filha com três anos de idade por uma doença rara foi transformada em pulso e motivação para se empenhar na causa.

Hoje, presidente da Associação Maria Vitória de Doenças Raras e Crônicas - AMAVI em Brasília. Ela, que viveu na pele essa experiência, fala sobre os desafios que as pessoas com doença rara enfrentam. 

Outro obstáculo que esses paciente enfrentam é a dificuldade no diagnóstico da doença. Esse foi o caso de Djane da Silva Bento de 44 anos. Ela tem  Lupus, uma doença rara e autoimune, que afeta tecidos e órgãos como pele, articulações e rins. Djane conta que demorou três anos até identificar a doença.

No Brasil e no mundo, o dia 28 de fevereiro, Dia das Doenças Raras, é marcado para lembrar a necessidade de conhecimento e pesquisa na área para melhorar o tratamento e apoio aos pacientes. 

Segundo o Ministério da Saúde, atualmente no Brasil, há estimados 13 milhões de pessoas com doenças raras. 

Edición: Joana Lima

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Derechos Humanos

RJ: Ronda Maria da Penha traz proteção a mulheres vítimas de violência

No primeiro mês da Ronda Maria da Penha, foram cumpridas 12 medidas protetivas encaminhadas pelo Tribunal de Justiça do Estado. Com atuação desde março, o projeto realizado pela Guarda Municipal do Rio também realizou 29 visitas a três mulheres vítimas de violência doméstica.

Baixar arquivo
Meio Ambiente

Fundação Renova apresenta dados sobre recuperação do Rio Doce

Uma expedição realizada ao longo do Rio Doce mostra os resultados do trabalho de redução dos impactos causados pelo rompimento da barragem de rejeitos da Samarco, em Mariana, Minas Gerais. Hoje, a água do Rio Doce já apresenta, em alguns pontos, a mesma qualidade de antes do rompimento da barragem.

Baixar arquivo
General

Um em cada cinco brasileiros não tem acesso à internet, segundo IBGE

São quase 40 milhões de pessoas desconectadas no país. A Pnad Contínua, pesquisa divulgada nesta quarta-feira (14), mostra ainda a desigualdade de acesso entre estudantes de escolas públicas e particulares.

Baixar arquivo
Derechos Humanos

Especialistas alertam para os sinais de violência contra crianças

O caso de violência no Rio de Janeiro, que levou à morte o menino de Henry, de apenas quatro anos, acendeu um alerta: como reconhecer sinais de abuso e maus-tratos contra os pequenos, e o que fazer para protegê-los? A psicóloga Fátima Marques alerta que adultos devem escutar mais as crianças.

Baixar arquivo
Salud

Covid-19: Rio de Janeiro inicia vacinação de agentes de segurança

Etapa de imunização vale para profissionais que estão na ativa. Bombeiros são vacinados em dois pontos, e PMs recebem as doses em batalhões e unidades militares.

Baixar arquivo
General

Prefeitura do Rio reduz restrições e autoriza atividades coletivas

A Prefeitura do Rio de Janeiro avançou na flexibilização das restrições para conter a pandemia de covid-19. Agora é permitido fazer atividades coletivas tanto em espaços públicos, quanto em áreas particulares. Mas a permanência nesses locais, apenas por lazer continua vetada.

Baixar arquivo