Adaptação e acessibilidade conferem inclusão a pessoas com deficiência

Publicado en 21/09/2021 - 09:38 Por Daniella Longuinho* - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

Imagine representar toda uma nação apaixonada por esportes na cerimônia de abertura de uma das maiores competições mundiais? Ser porta-bandeira de seu país, da mulher no esporte, e desfilar lembrando de tudo o que viveu até chegar ali?

Foi exatamente isso o que sentiu a atleta Evelyn Oliveira, de 33 anos, nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, que encerraram no começo deste mês. Ela tem uma doença congênita, que há poucos anos pode confirmar se tratar de Atrofia Muscular Espinhal (AME). E foi há pouco mais de dez anos que Evelyn viu na bocha paralímpica uma grande oportunidade de transformação. 

Os atletas da modalidade competem em cadeiras de roda e são divididos em classes, de acordo com o grau da deficiência e da necessidade de auxílio. A competição consiste em lançar bolas coloridas o mais perto possível de uma branca, conhecida como bolim ou jack. 

Apesar da preocupação sobre como seriam os treinos e as competições, por ter uma limitação física, Evelyn Oliveira, que até então vivia uma vida reclusa em Suzano (SP), disse que precisou mudar a mentalidade para se ver como atleta. 

Estevão Lopes, de 43 anos, também é um atleta paralímpico de muito sucesso na modalidade da vela adaptada. A paixão pelo esporte veio depois de um acidente: ele foi vítima de uma bala perdida na cidade do Riacho Fundo, região administrativa de Brasília, e ficou paraplégico. 

Foi durante a reabilitação, no hospital Sarah Kubistchek, que ele teve uma vivência esportiva. Embora Estevão não tivesse a intenção de se tornar atleta de alto rendimento, a vida dele se transformou quando entrou em um barco.

Além de atleta, Estevão é também advogado e educador físico. Ele é sócio-fundador do projeto Capital do Remo, complexo de esportes náuticos em Brasília que atende mais de 100 pessoas com diversos tipos de deficiência.
 
As histórias inspiradoras de Evelyn e Estevão são lembradas neste Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Diferente da ideia discriminatória de capacitismo, conceito que sugere um afastamento da capacidade das pessoas em virtude da condição de deficiência, as trajetórias dos paratletas mostram que a adaptação e a acessibilidade são parte dos direitos que conferem inclusão social.  

*com produção de Dayana Vítor

Edición: Roberto Piza / Nathália Mendes

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas notícias
Salud

STJ decide que plano de saúde deve custear remédio de canabidiol

O Superior Tribunal de Justiça determinou que uma operadora de plano de saúde forneça medicamentos à base de canabidiol a um paciente diagnosticado com epilepsia grave. O canabidiol é extraído da Cannabis sativa, planta conhecida como maconha.

Baixar arquivo
Política

PEC dos Precatórios deve ser votada nesta quarta na Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, marcou para esta quarta-feira a votação da PEC dos Precatórios. Prevista na pauta dessa terça-feira, Lira justificou que o adiamento foi necessário porque faltava conversar com alguns líderes sobre o texto.

Baixar arquivo
General

Santa Catarina passa a adotar número de RG igual ao do CPF em novembro

. Quem já tiver o RG, o número continua valendo, mas quem for emitir a primeira via já não vai contar com um número separado do RG.

Baixar arquivo
Salud

Alerj aprova liberação do uso de máscaras ao ar livre no estado do Rio

O projeto aprovado pela Alerj ainda precisa seguir para sanção ou veto  do governador Cláudio Castro, que tem um prazo de 15 dias para publicar a decisão.

Baixar arquivo
General

Roubo de cabos de energia dificultou trajetos do metrô em São Paulo

Segundo o Metrô, foram roubados 30 metros de cabos do sistema que alimenta a energia dos trens. A confusão começou por volta das 5h e também comprometeu a operação na Linha Azul.

Baixar arquivo
Salud

INCA alerta para perigos do consumo coletivo de narguilés na pandemia

Para além dos riscos da transmissão de doenças como a covid, caso a mangueira seja compartilhada, uma sessão de narguilé, que costuma durar entre 1hora a 90 minutos, equivale ao consumo de 100 cigarros comuns. 

Baixar arquivo