Pesquisa alerta para publicidade ilegal de fórmulas infantis

Publicado en 25/05/2022 - 19:39 Por Fabiana Sampaio - Repórter da Rádio Nacional - Rio de Janeiro

Seis em cada dez farmácias e supermercados brasileiros infringem a legislação que regula o marketing de produtos que podem prejudicar a amamentação. O alerta, com base em estudo realizado em sete cidades das cinco regiões brasileiras, é do Observatório de Saúde na Infância, o Observa Infância, espaço virtual que reúne informações sobre os principais indicadores sociais e dos projetos de lei relacionados à infância no Brasil. A ferramenta é uma iniciativa da Fiocruz e do Centro Universitário Arthur de Sá Earp Neto.

De acordo com o Observatório, no topo dos produtos que competem com o aleitamento materno, por conta de sua exposição nessas lojas, estão os compostos lácteos, com 45%, seguidos dos leites, 35%. Papinhas e mingaus para bebês, fórmulas infantis, chupetas ou mamadeiras completam a lista.

A capital do Pará, Belém, registrou o maior índice de infrações de farmácias e supermercados à legislação vigente, seguida de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, João Pessoa, Florianópolis e Ouro Preto, em Minas Gerais.

Cristiano Boccolini, pesquisador em Saúde Pública da Fiocruz e coordenador do Observa Infância, citou as promoções desses produtos com uma das irregularidades encontradas.

Segundo o pesquisador, a indústria de fórmulas usa de estratégias de marketing ilegais para promover seus produtos e contaminar a decisão das mães sobre a amamentação dos filhos. Boccolini avalia que esse é um dos fatores responsáveis pela estagnação dos indicadores do aleitamento materno no Brasil.

De acordo com o pesquisador, é preciso aumentar a fiscalização para conter o problema. O cumprimento da lei, na avaliação de Boccolini, deve ser feito pelos farmacêuticos e vigilâncias sanitárias municipais.

O Ministério da Saúde recomenda a amamentação até os 2 anos de idade ou mais e de forma exclusiva nos seis primeiros meses de vida.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde e o Fundo das Nações Unidas para a Infância, por ano, cerca de 6 milhões de vidas são salvas por causa do aumento das taxas de amamentação exclusiva até o sexto mês de idade.

Procuradas, a Associação Brasileira de Supermercados disse que não irá se pronunciar sobre a pesquisa. Já a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias afirmou que não se manifesta sobre práticas de cunho comercial das empresas e que não houve notificações para as redes de farmácias sobre esse descumprimento.

Edición: Vitória Elizabeth / GT Passos

Últimas notícias
General

Cantareira vai a 40% do nível de água e entra em estado de alerta

Sabesp informou que ainda não há risco de desabastecimento. Sistema é composto por seis mananciais que, juntos, estão operando com 54% da capacidade.

Baixar arquivo
General

Chuvas: 40 mil pessoas estão desalojadas ou desabrigadas em Alagoas

As fortes chuvas que caíram em Alagoas a partir da madrugada deste sábado (02) deixaram 40 mil pessoas entre desalojadas e desabrigadas.

Baixar arquivo
Economía

Mercado de aviação cresce no Brasil, mas segue abaixo da pré-pandemia

Ao todo, 6 milhões e 400 mil passageiros voaram no mercado doméstico brasileiro em maio deste ano. O número representa 10% menos que o mês de maio de 2019, ou seja, antes da pandemia. 

Baixar arquivo
Internacional

Portugal vai criar novo visto de trabalho a brasileiros no país

Em visita ao Rio de Janeiro, neste sábado (02), o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Souza, citou a proposta que cria um novo visto de trabalho para brasileiros.

Baixar arquivo
General

Cristo Redentor ganha iluminação especial na cor laranja

O tom escolhido para irradiar o icônico ponto turístico faz uma alusão ao Dia Municipal de Redução do Risco de Desastres.

Baixar arquivo
Economía

Doação de pessoa para campanha via PIX só pode ser feita pelo CPF

A decisão por unanimidade foi do plenário do Tribunal Superior Eleitoral na sessão desta sexta-feira.

Baixar arquivo