Governo Central registra déficit primário recorde para meses de junho

Publicado en 30/07/2014 - 16:08 Por Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil - Brasília

O Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) registrou, em junho, o pior resultado primário da história para o mês. Segundo números divulgados há pouco pelo Tesouro Nacional, o mês passado teve déficit primário de R$ 1,946 bilhão.

Em maio, o Governo Central havia registrado déficit primário de R$ 10,502 bilhões. Os dois meses seguidos de resultados negativos fizeram o superávit primário encerrar os primeiros seis meses de 2014 em R$ 17,238 bilhões, o pior esforço fiscal para o primeiro semestre desde 2000, quando a economia acumulada havia atingido R$ 15,431 bilhões.

No mês passado, o pagamento de dividendos de estatais foi insuficiente para salvar as contas do Governo Central. Em junho, as estatais federais repassaram R$ 1,479 bilhão ao Tesouro Nacional, dos quais R$ 931 milhões vieram do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Nos seis primeiros meses do ano, as empresas estatais transferiram R$ 10,491 bilhões ao Tesouro, volume 36,3% maior que no mesmo período de 2013. Os dividendos são a parcela do lucro que as empresas repassam aos acionistas. No caso das estatais federais, como o Tesouro é o maior acionista dessas empresas, tem direito à maior parte dos dividendos.

O superávit primário é a economia de recursos para pagar os juros da dívida pública. O esforço fiscal permite reduzir o endividamento do governo no médio e no longo prazo. Com o resultado de junho, o Governo Central economizou apenas 21,34% da meta reduzida de R$ 80,774 bilhões estabelecida para 2014.

No Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas, divulgado no último dia 22 pelo Ministério do Planejamento, o governo admitiu que precisará de R$ 18 bilhões da reabertura do Refis da Crise, programa de renegociação de dívidas com a União, para atingir a meta de esforço fiscal. O governo pretende contar ainda com R$ 23,9 bilhões de dividendos das estatais federais.

Contribuiu para o desempenho fiscal no primeiro semestre o crescimento dos gastos em ritmo maior que o das receitas. Nos seis primeiros meses do ano, a receita líquida aumentou 6,1% em relação ao mesmo período de 2013. A despesa total, no entanto, subiu 10,1%.

O aumento das despesas está sendo puxado pelos investimentos, que englobam as obras federais e a compra de equipamentos e subiram 21,7% no primeiro semestre (R$ 40,4 bilhões) em relação aos mesmos meses do ano passado (R$ 33,2 bilhões). Os gastos com o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) aumentaram de R$ 22,7 bilhões para R$ 28,8 bilhões, alta de 26,9%.

Os gastos de custeio – manutenção da máquina pública – aumentaram 11,7%, desacelerando em relação à alta de 19,1% observada no primeiro semestre de 2013. As despesas com o funcionalismo também desaceleraram na mesma comparação, de alta de 7,6% de janeiro a junho de 2013 para crescimento de 6,4% em 2014.

Edición: Juliana Andrade

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique
Últimas noticias
Governo de São Paulo inicia testes com vacina contra o novo coronavírus.
Salud

Gobierno revela estrategia de vacunación contra coronavirus en Brasil

El cálculo que se está haciendo es el mismo que el de la vacuna contra la gripe, con unos 100 millones de dosis en todo el país.

 Beirute, explosão, zona portuária
Política

Bolsonaro dice que Brasil ayudará al pueblo libanés

"Brasil es solidario y expresamos ese sentimiento al pueblo libanés. Estaremos presentes en esta ayuda al pueblo que tiene unos millones de personas en nuestro país", dijo el presidente.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, participa da cerimônia de acionamento do Sistema Integrado de Abastecimento de Água de Campo Alegre de Lourdes na Bahia
Internacional

Bolsonaro expresa solidaridad con víctimas de la explosión en Líbano

En su cuenta personal de Twitter, el mandatario brasileño dijo que estaba profundamente triste por las escenas.

Testagem gratuita da Covid-19 realizada pelo Instituto Butantan no estacionamento superior do shopping SP Market
Salud

COVID-19: Brasil tiene 2,8 millones de casos y un 70,3% de recuperados

Brasil sigue siendo el segundo en el ranking mundial de casos y óbitos relacionados con la pandemia. Según el mapa de la Universidad Johns Hopkins, los Estados Unidos lideran con 156.426 víctimas fatales y 4.758.028 casos acumulados.

Armazém com soja recém-colhida em Sorriso (MT)
Economía

Balanza comercial arroja superávit récord en julio

Lo que impulsó ese desempeño, según los datos del ministerio, fue la venta de soja, cuyo valor aumentó 35,2% en los primeros siete meses de este año ante el mismo período del año anterior.

Hospital de campanha para vítima de Covid-19 em Santo André, São Paulo
Salud

Más de 2,75 millones de brasileños con COVID-19 desde marzo

Los estados con más muertes causadas por el nuevo coronavirus son São Paulo (23.365), Río de Janeiro (13.604), Ceará (7.752), Pernambuco (6.669) y Pará (5.784).